Luciano Hang e Carlos Wizard querem comprar e doar vacinas aos trabalhadores

O empresários lançaram um abaixo-assinado para poderem adquirir as doses contra a Covid-19 e imunizar funcionários e a população em geral

Os empresários Luciano Hang e Carlos Wizard lançaram nesta segunda-feira (22) um abaixo-assinado para poder comprar e doar vacinas contra a Covid-19 para os trabalhadores das empresas e para a população em geral.

Os empresários Luciano Hang e Carlos Wizard lançaram um abaixo-assinado para comprar e distribuir vacinas contra a Covid-19 para os funcionários e a população – Foto: Divulgação/HavanOs empresários Luciano Hang e Carlos Wizard lançaram um abaixo-assinado para comprar e distribuir vacinas contra a Covid-19 para os funcionários e a população – Foto: Divulgação/Havan

Os empresários já haviam divulgado a intenção de adquirir as vacinas. A iniciativa do abaixo-assinado surgiu em uma live de Hang e Wizard e foi uma sugestão dos internautas. O objetivo do documento é, por meio de apoio popular, sensibilizar o Congresso Nacional para alterar a Lei nº 14.125, que determina que, caso a iniciativa privada compre vacinas, elas devem ser 100% doadas ao SUS (Sistema Único de Saúde) até que todos os grupos prioritários sejam imunizados.

Outro ponto da proposta é que as empresas e empresários possam comprar vacinas com registro sanitário concedido pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) ou mesmo imunizantes que tenham registros internacionais.

Empresários falam em “união de forças”

Os empresários defendem unir esforços e atuação em paralelo ao SUS, para acelerar a imunização e a retomada das atividades econômicas. “Não vi em nenhum outro país do mundo um movimento tão grande de empresários querendo doar vacinas e imunizar seus colaboradores gratuitamente, como estamos querendo no Brasil e estamos sendo impedidos pela burocracia. Estamos pedindo uma liberação para ajudar. Não estamos cobrando nada e nem vamos comercializar”, garante Wizard.

Eles garantem que a iniciativa não vai interferir na demanda mundial de vacinas e afirmam que já teriam conseguido a disponibilidade de 1 milhão de vacinas, que poderiam chegar ao Brasil em 30 dias após a autorização da compra. Eles pretendem se reunir com o novo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, para buscar uma solução.

O empresário catarinense Luciano Hang afirma, ainda, que a ideia não tem a intenção de “furar” a fila de vacinação do grupo prioritário, que compreende quase 78 milhões de brasileiros, mas trazer mais agilidade ao processo de imunização.

“A burocracia brasileira está matando 2 mil pessoas por dia. A iniciativa privada pode e quer somar nesta corrida pela vida. A vacinação em massa da população é o caminho para que que se tenha o retorno da vida normal”, destaca Hang.

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Blumenau e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Saúde

Loading...