Macacos podem ter morrido de febre amarela no Extremo Oeste de SC

Animais foram encontrados por moradores da Linha São João, interior de Palma Sola, no interior de São Miguel do Oeste

Dois macacos mortos foram encontrados por moradores na Linha São João, interior de Palma Sola, no Extremo-Oeste de Santa Catarina. Por conta disso, equipes regionais de saúde estiveram na comunidade para coletar material para análise, a fim de identificar se há relação com a doença da febre amarela.

Macacos mortos foram encontrados no interior de Palma Sola – Foto: Prefeitura de Palma Sola/Divulgação/NDMacacos mortos foram encontrados no interior de Palma Sola – Foto: Prefeitura de Palma Sola/Divulgação/ND

A febre amarela é uma doença viral hemorrágica causada por um arbovírus, é transmitida pela picada do mosquito infectado e afeta, principalmente, os macacos e as pessoas não vacinadas. Os macacos morrem rapidamente depois de infectados e suas mortes oferecem um alerta para a possível circulação do vírus naquele local.

Com o registro dessas duas mortes de macacos na região, a equipe epidemiológica pede aos moradores para que verifiquem a caderneta de vacinação. Caso não haja a imunização contra febre amarela, a população deve comparecer com urgência na sala de vacinas do posto de saúde.

Febre amarela em SC

O último boletim divulgado pela Dive/SC (Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina) no dia 2 de fevereiro aponta dados referentes ao mês de janeiro. Durante esse período, foram notificados três casos humanos suspeitos de febre amarela, sendo que dois permanecem em investigação e um foi confirmado com a doença.

O caso confirmado se trata de uma mulher de 40 anos, moradora de Taió, na Serra catarinense, sem registro de vacina contra a febre amarela. No ano de 2020, a Dive/SC registrou 17 casos confirmados com a doença.

Acesse e receba notícias de Chapecó e região pelo WhatsApp do ND+

Entre no grupo
+

Saúde