Maio Roxo alerta sobre as doenças inflamatórias intestinais

O Plano SC Saúde apoia a campanha e destaca a importância do diagnóstico precoce para garantir qualidade de vida aos pacientes

Campanha Maio Roxo alerta para doenças inflamatórias intestinais – Foto: Arte/DivulgaçãoCampanha Maio Roxo alerta para doenças inflamatórias intestinais – Foto: Arte/Divulgação

O Maio Roxo é uma campanha para alertar e conscientizar sobre as doenças inflamatórias intestinais (DII). O SC Saúde aproveita a campanha para destacar a importância de falar sobre essas doenças.

O objetivo é que as pessoas tenham mais conhecimento, busquem monitoramento e prevenção com acompanhamento médico, já que com o diagnóstico precoce, o tratamento pode ser mais eficaz, aumentando a qualidade de vida dos pacientes.

Os que são as Doenças Inflamatórias Intestinais?

As doenças inflamatórias intestinais são aquelas que atingem o trato gastrointestinal e se caracterizam por uma inflamação crônica.

Indivíduos com doenças inflamatórias intestinais podem sofrer de sintomas isolados ou persistentes, que dificultam a realização das atividades cotidianas. As formas mais comuns são a Doença de Crohn, a Colite Ulcerativa e a Retocolite Ulcerativa. Essas doenças não devem ser confundidas com a síndrome do intestino irritável, que é menos grave.

O médico do SC Saúde, Carlos Vinícius Novaes de Andrade, alerta sobre os sintomas mais frequentes das DIIs.

“A doença de Crohn caracteriza-se por uma inflamação crônica, que acomete todas as camadas da parede intestinal. Embora ocorra preferencialmente na porção final do intestino delgado, pode acometer áreas que vão da boca ao ânus e região perianal de forma intercalada.

Os principais sintomas da doença são diarreia, dor abdominal, febre e eliminação de muco e sangue nas fezes. Já a Colite Ulcerativa é uma doença inflamatória crônica do intestino grosso caracterizada por inflamação da camada superficial do cólon (mucosa).

A inflamação inicia-se no reto e pode se estender por todo o cólon de modo contínuo. Os sintomas consistem em diarreia com muco e sangue, dor anal, urgência evacuatória e cólicas”, explica o médico.

Outra doença que acomete o trato intestinal é a Retocolite Ulcerativa. Ela é mais frequente que a Doença de Crohn, atinge a região do intestino grosso, em alguns casos o intestino delgado, podendo atingir do reto ao íleo terminal.

Sintomas que merecem atenção

Normalmente, a Retocolite Ulcerativa se apresenta com diarreia mucosa ou com sangue, dor tipo cólica, urgência em evacuar, sensação de presença de fezes sem haver as mesmas, fístulas que se abrem na região do períneo com difícil cicatrização.

As causas estão relacionadas a fatores genéticos, fatores externos, autoimunidade e flora bacteriana intestinal. O Dr. Carlos Vinícius Novaes de Andrade nos explica como é diagnosticada a doença.

“O diagnóstico é feito por exame clínico com ênfase nas queixas abdominais focadas no aparelho digestivo e a colonoscopia com biópsia da parede intestinal alterada.

O tratamento vai se diferenciar de acordo com a gravidade da doença, com uso de corticoides, imunomoduladores podendo chegar, em alguns casos mais graves, a ter indicação de cirurgia.

Outra característica marcante é o fato de a doença ter períodos de agudização e outros de remissão”, declara o médico.

Os sintomas das DIIs são similares, por isso precisam ser analisados com cuidado e atenção. Quem já teve caso dessas doenças na família deve ficar atento aos sintomas, e caso apresente algum deles procurar um médico o mais breve possível. Um diagnóstico correto é o primeiro passo para o tratamento.

Tratamento adequado

Vale lembrar que, embora sejam doenças crônicas, as doenças inflamatórias intestinais podem ser controladas, permitindo que o paciente tenha uma rotina próxima do normal.

Por meio do tratamento adequado e individualizado, podem ter seus sintomas gerenciados a fim de reduzir sua gravidade, com o controle ou até mesmo a plena recuperação do processo inflamatório, o que contribui para uma melhora significativa da qualidade de vida.

Doenças crônicas e alimentação

A boa nutrição é essencial para o tratamento de qualquer doença crônica. Especialmente nesses casos de doenças inflamatórias intestinais, em que os pacientes costumam apresentar redução do apetite, diarreia e, consequentemente, má absorção de nutrientes.

Alimentação saudável é fundamental

O paciente pode ter um acompanhamento nutricional para adequar a suas refeições em busca de uma alimentação equilibrada e anti-inflamatória, com ingestão adequada de proteínas, carboidratos e gorduras, bem como de vitaminas e minerais.

É importante destacar que a orientação alimentar deve ser realizada de forma individualizada, considerando o curso da doença de cada paciente.

A medicina ainda está em fase de pesquisa sobre a causa de origem dessas doenças. O que se sabe até hoje, é que podem estar ligadas a fatores hereditários e imunológicos, podendo ser agravadas pelos hábitos de vida.

Essas doenças acometem homens e mulheres e, geralmente, são diagnosticadas na faixa dos 30 anos de idade.

Confira a tabela com os principais sintomas das DIIs:

Tabela de sintomas das doenças inflamatórias intestinais –  DivulgaçãoTabela de sintomas das doenças inflamatórias intestinais –  Divulgação

+ Saúde é tudo