Mais um macaco é encontrado morto em SC e contaminação por febre amarela é investigada

Animal da espécie bugio foi achado no Sul do Estado; primeira morte de macaco pelo vírus foi confirmada no Norte de SC na semana passada

Um macaco macho da espécie bugio foi encontrado morto na localidade de Linha Frasson, no município de Morro da Fumaça, no Sul do Estado, nessa sexta-feira (5).

A morte é um novo alerta para a circulação do vírus da febre amarela em Santa Catarina. Amostras do macaco foram coletadas para identificar se doença causou a morte.

Macaco teve amostras retiradas para investigar causa da morte – Gabriela Recco/Morro da Fumaça Notícias

Na quinta-feira (4), foi confirmada a primeira morte de um animal, da mesma espécie, por febre amarela no Estado, no município de Garuva, na região Norte.

Leia também:

O macaco foi achado pelo funcionário de uma empresa que fica na região. Na manhã desse sábado (6), estiveram no local o secretário de Saúde do município, Robson Francisconi, e o gerente regional de Saúde, Fernando de Fáveri, para ajudar nos procedimentos de recolhimento do material.

“As pessoas não precisam entrar em pânico e, sim, procurar as unidades de saúde para tomar a vacina”, disse o secretário de Saúde ao site Morro da Fumaça Notícias.

O gerente regional de Saúde, por sua vez, detalhou que o macaco não apresentava marcas de violência e que o corpo foi encontrado próximo a uma região de mata, por isso os cuidados devem ser redobrados. O mosquito que transmite a febre amarela costuma circular nessas áreas.

Segundo a Dive-SC (Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina), o material coletado no Sul do Estado já foi encaminhado ao Lacen-SC (Laboratório Central de Saúde Pública de Santa Catarina), em Florianópolis. De lá, as amostras serão levadas ao Laboratório da Fiocruz, no Paraná.

Ainda conforme a Dive-SC, o resultado deve ser divulgado em até 30 dias, para confirmação ou não da presença do vírus da febre amarela.

Macacos não transmitem a doença

Os macacos não transmitem a febre amarela. Eles são vítimas da doença e sinalizam a circulação do vírus na região. Por isso, ao encontrar um macaco doente ou morto, a Secretaria Municipal de Saúde deve ser comunicada imediatamente.

Paciente morto em Joinville

Em 28 de março, Santa Catarina já havia confirmado o primeiro caso de febre amarela autóctone (contraída dentro do estado) em humano, com morte. O paciente era um homem de 36 anos que não havia se vacinado. Ele morava em Joinville, no Norte do Estado.

Leia também:

Campanha Estadual de Vacinação

Devido às baixas coberturas vacinais, em 20 de março o Estado deu início à Campanha de Vacinação Contra a Febre Amarela, que segue até 20 de abril. Nesse período, todos os moradores devem procurar um posto de saúde para tomar a vacina contra a doença.

A Dive-SC informou que distribuiu o quantitativo de doses da vacina contra a febre amarela para as 17 regionais de saúde do Estado até o dia 3 de abril.

Até o momento, a cobertura vacinal está em 61,47%, considerando doses aplicadas entre 1994 e 2019.

A previsão de recebimento da próxima remessa enviada pelo Ministério da Saúde é de 300 mil doses, até 14 de abril.

+

Saúde