Marinha do Brasil realiza ações de combate ao mosquito Aedes Aegypt em Santa Catarina

O trabalho será feito em quatro etapas e a primeira encerra nesta quinta-feira. Os militares fizeram um mutirão em São Francisco do Sul

A Marinha do Brasil integrou as ações de combate ao mosquito Aedes Aegypt na sexta-feira (29) e mobilizou mais de 800 militares nos Estados de Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Paraná no fim de semana, após o anúncio do Ministério da Defesa, no dia 27 de janeiro, sobre a atuação das Forças Armadas no combate ao mosquito transmissor da dengue, chinkungunya e Zika vírus.

Divulgação/Marinha do Brasil

Militares realizaram mutirão para eliminação de possíveis focos em São Francisco do Sul

O trabalho ocorrerá em quatro fases: mutirão em organizações militares, esclarecimento à população, atuação direta no combate ao mosquito e trabalho de conscientização em unidades de ensino. A primeira fase teve início na sexta (29) e encerra nesta quinta-feira (4). Na região Sul, mutirões foram realizados nas 25 Organizações Militares da Marinha, nas residências dos militares, terrenos baldios e ruas nas imediações.

Foi realizada a busca e eliminação de possíveis focos do mosquito, assim como a orientação para os cuidados a serem adotados. Ao todo, 824 homens e mulheres foram empregados nas ações nos três Estados. Nas próximas três fases, serão mobilizados 1.778 militares da Marinha. Cerca de 3.000 militares estão capacitados para atuar no combate ao transmissor da dengue.

Na segunda etapa, prevista para ocorrer no dia 13 de fevereiro, haverá a mobilização de militares das Forças Armadas em todas as capitais e cidades consideradas endêmicas pelo Ministério da Saúde. Os militares farão a distribuição de material impresso com orientações à população sobre o combate ao mosquito.

Entre os dias 15 e 18 de fevereiro, ocorre a terceira etapa, em uma ação coordenada com o Ministério da Saúde e as autoridades locais, com visitas domiciliares para inspecionar possíveis focos de proliferação, orientando moradores e, se for o caso, fazendo aplicação de larvicida em criadouros. A última etapa prevê a utilização de efetivos militares em visitas a escolas. A meta é reforçar o trabalho de conscientização das crianças e adolescentes sobre como evitar a proliferação do mosquito transmissor.

O Ministro da Defesa, Aldo Rebelo ressaltou ser necessária a união de esforços e a mobilização de todos: poderes públicos, igrejas, sindicatos, entidades e toda a população. Ele citou como bom exemplo de atuação o Acre, que conseguiu reduzir os casos de dengue, de 30 mil ocorrências, em 2010, para 350, em 2015.

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Saúde

Loading...