Familiares, amigos e autoridades se despedem de Mário Petrelli, fundador do Grupo ND

Cerimônia foi realizada na Capela Divino Espírito Santo na manhã desta quinta-feira (23); Mário Petrelli recebeu homenagens pelo seu legado deixado na comunicação de SC

Com várias homenagens, foi sepultado nesta quinta-feira (23), no Cemitério Municipal São Francisco de Assis, no Itacorubi, em Florianópolis, o fundador e presidente emérito do Grupo ND, Mário José Gonzaga Petrelli.

Marcello Corrêa Petrelli, presidente executivo do Grupo ND, faz última homenagem ao pai, Mário José Gonzaga Petrelli – Foto: lan Sell/ND

O sepultamento teve início às 12h. Amigos e parentes fizeram suas últimas homenagens a grande figura catarinense.

Salete Malacarne trabalhava como governanta na casa de seu Mário e afirmou nunca esquecer de todas as coisas boas que o empresário fez por ela.

O velório ocorreu na manhã desta quinta-feira na Capela Divino Espírito Santo, no Centro. A cerimônia religiosa, conduzida pelo padre Vilson Groh, foi marcada por comoção e contou com a presença de autoridades catarinenses.

Padre Vilson Groh conduziu a cerimônia de despedida – Foto: Leo Munhoz/ND

Na porta da pequena igreja, dezenas de coroas de flores homenageiam um dos mais bem-sucedidos empresários do Brasil. O advogado morreu na tarde desta quarta-veira (22), aos 84 anos. Ele sofreu uma parada cardíaca decorrente de uma hemorragia durante procedimento de endoscopia.

Às 10h30 haverá uma cerimônia no local. O velório está previsto para ser realizado até as 11h30 e será seguido por um cortejo. O enterro está previsto para a tarde desta quinta, no Cemitério do Itacorubi.

Velório de Mário José Gonzaga Petrelli é realizado na Capela Divino Espírito Santo, no Centro de Florianópolis – Foto: Leo Munhoz/ND

Leia também:

Dentro da capela, familiares e amigos começam a chegar para se despedir do Dr. Mário, como era carinhosamente chamado. No corredor, funcionários da família e colaboradores do Grupo ND também relembram viagens, histórias e momentos importantes de Petrelli.

“São 18 anos trabalhando com a família. Comecei como secretária do Doutor Mário. Muita história, muita dedicação e muito respeito”, disse Manuela Barcelos de Oliveira, 37 anos.

Mário José Gonzaga Petrelli – Foto: Arquivo/Bruno Ropelato/ND

Um dos primeiros a chegar na cerimônia, Aldemir Sabino, de 80 anos, relembra a amizade com Mário José Gonzaga Petrelli há mais de 20 anos. “Ele era Fluminense e a gente sofria juntos pelo nosso time. Todo dia a gente conversava, era por telefone ou a gente se via”, diz o ex-diretor geral da Câmara de Deputados e amigo do empresário.

Ao lado do caixão, que foi posicionado no centro da capela, a esposa do fundador do Grupo ND, Mônica Barusso Buffara Petrelli, conversava com amigos do companheiro. Acompanhavam ela Marcello Corrêa Petrelli e sua esposa, Judith Veran Bussolo Petrelli. Os outros filhos de Mário, Luciana, Leonardo, Mário José e Rosimar, também já haviam chegado às 9h30.

Luto de três dias

A morte do empresário foi lamentada por entidades de classe, além do vice-presidente Hamilton Mourão e o ministro Sergio Moro. O governador de Santa Catarina, Carlos Moisés (PSL), declarou luto oficial de três dias no Estado.

No velório, o presidente da OAB/SC, Rafael Horn, relembrou do dia em que Doutor Mário recebeu a maior comenda da advocacia catarinense, em 2011. “Ele era um homem extraordinário. Não só Santa Catarina, mas o Brasil, perdeu um dos grandes homens da sua história. Grande articulador, participou de momentos importantes da política e da história”, contou.

Velório de Mário José Gonzaga Petrelli é realizado na Capela Divino Espírito Santo, no Centro de Florianópolis – Foto: Caroline Borges/ND

No corredor da capela, Wilfredo Gomes, relembrava algumas histórias de Mário. Para o presidente da Lide SC, um dos grandes momentos de lembrança foi o dia em que o empresário foi homenageado em uma das edições da Lide. “Santa Catarina perde uma grande pessoa, grande empresário e um amigo muito querido”, disse emocionado.

Cesar Gomes Junior, presidente da Portobello e amigo próximo de Mário, falou emocionado sobre a perda. Na sua visão, o empresário deixou seu nome e sua importante marca em Santa Catarina. “É um dia muito triste, Mário era brilhante e fará muita falta”, afirmou.

Georgino Melo e Silva, procurador federal, também compareceu ao velório. “Florianópolis perde uma substância essencial da vida da cidade, Santa Catarina perde um grande empreendedor e nós perdemos um grande amigo”, revelou.

“Meu pai, meu guia, meu amigo”

Leonardo Petrelli, um dos filhos de Mário, fez uma declaração ao pai durante a cerimônia. Ao chamar de grande amigo o homem que criou um dos grandes veículos de comunicação do Sul do país, Leonardo se emocionou e agradeceu ao carinho e apoio de amigos que estavam na cerimônia. “Meu pai, meu guia, meu amigo. Obrigado Mário”, disse.

A esposa Mônica Barusso Buffara Petrelli falou algumas palavras antes de a missa começar.

“Brincalhão, íntegro. Todos aqui tem uma história com ele. Foram 10 anos da minha vida em que eu fui feliz com ele. Viagens inesquecíveis e engraçadas, uma família linda, amigos queridos que eu fiz e que vão estar guardados no meu coração. Obrigada pelo privilégio de tê-lo comigo nesses 10 anos”, destacou Mônica.

Cerimônia

Responsável pela celebração, padre Vilson Groh lembrou do dia em que Mário subiu as escadarias do Morro do Mocotó para conversar e conhecer o projeto social que ocorre na comunidade.

A amizade entre ambos proporcionou uma parceria entre o Grupo ND e instituto liderado pelo religioso, que atende famílias carentes em Florianópolis.

“Ele chegou ofegante depois de subir aquelas escadarias e disse ‘vim aqui porque quero me solidarizar’. É esse o legado que Mário nos deixa”, destacou o padre.

Carreira de sucesso

O advogado e empresário foi responsável pelo crescimento na área de comunicação em Santa Catarina. Teve uma carreira vencedora no setor de seguros e de comunicação.

Capa do jornal ND desta quinta-feira, dia 23 de abril – Foto: Divulgação/ND

Natural de Florianópolis, Mário José Gonzaga Petrelli mudou-se aos 15 anos para Curitiba, onde se formou bacharel em Direito pela UFPR (Universidade Federal do Paraná), em 1959. Antes mesmo de encerrar a graduação, iniciou a carreira na comunicação como repórter de política dos jornais O Dia e A Tarde, de Curitiba. Tornou-se executivo de uma empresa de seguros, ramo em que também foi muito bem-sucedido.

Foi em 1976 que surgiu a oportunidade de adquirir uma emissora de televisão, a TV Coligadas, de Blumenau. Essa foi a base do que se tornou o Grupo RIC, que eventualmente abriu sedes no Paraná e em Santa Catarina.

Atualmente nomeado Grupo ND em Santa Catarina, o conglomerado de mídia engloba a NDTV, o jornal impresso ND e o portal nd+, além de revistas, a Record News, uma rádio e uma plataforma jovem.

Amizade inesquecível

Amigo de 45 anos, Içuriti Pereira não vai esquecer da viagem em que Mário e ele fizeram pela Itália há cerca de dez anos. Considerada uma das grandes aventuras da vida deles, os amigos viajaram de carro pelo país atrás de uma das maiores líderanças do mundo.

“Foi uma aventura. O Mário me fez dirigir a Itália toda atrás do papa. A gente dirigia até 100 quilômetros por dia e paráva-mos nos hotéis. Vinhos deliciosos, comida boa. Eu conheci aquele lado do Mário que poucos conhecem”, contou emocionado.

+

Novidades Grupo ND