Médico é demitido após roubar nove doses de vacina contra a Covid-19

A defesa de Hasan Gokal alegou que os imunizantes perderiam sua validade e, por isso, o médico decidiu levá-los para aplicar em sua família

Um médico norte-americano foi demitido de um cargo público após roubar uma caixa com nove doses da vacina contra o novo coronavírus. O caso aconteceu em Harris, no Texas (EUA),e a defesa de Hasan Gokal alega que o imunizante perderia a validade.

Segundo advogado do médico, ele apenas garantiu que as dosagens da vacina Covid-19, que expirariam, fossem para alguém que precisasse – Foto: GUSTAVO MORENO/ METRÓPOLES/ NDSegundo advogado do médico, ele apenas garantiu que as dosagens da vacina Covid-19, que expirariam, fossem para alguém que precisasse – Foto: GUSTAVO MORENO/ METRÓPOLES/ ND

O crime foi descoberto após o médico comentar com um colega de trabalho sobre ter furtado as doses, segundo o promotor do condado, Kim Ogg. A autoridade disse no comunicado ainda que o médico foi demitido e enfatizou a gravidade do caso.

“Ele abusou de sua posição para colocar seus amigos e familiares na linha na frente das pessoas que haviam passado pelo processo legal para estar lá. O que ele fez foi ilegal e ele será responsabilizado perante a lei”, disse.

Advogado de Gokal, Paul Doyle não negou o roubo, mas disse que as vacinas perderiam a validade de qualquer forma e, por isso, seu cliente decidiu levá-las para aplicar em sua família: “O condado de Harris teria preferido que o Dr. Gokal desperdiçasse as vacinas e está tentando desmoralizar a reputação desse homem no processo de apoiar esta política. Estamos ansiosos pelo nosso dia no tribunal para consertar esse erro”.

“Dr. Gokal é um servidor público dedicado que garantiu que as dosagens da vacina Covid-19, que de outra forma expirariam, fossem para os braços de pessoas que atendiam aos critérios para recebê-la”, disse o advogado a emissora de TV local KHOU11.

Segundo o New York Post, Gokal pode pegar um ano de prisão e ser multado em US$ 4 mil, o equivalente a R$ 21 mil.

+

Saúde