Medina comenta ausência na final do Mundial após não tomar vacina: ‘foi um erro’

Surfista usou as redes sociais para esclarecer porque não tomou o imunizante contra a Covid-19, mesmo com o COB disponibilizando a vacina para os atletas olímpicos

Gabriel Medina comentou a polêmica que se envolveu após ficar de fora do Mundial de Surfe por não tomar a vacina contra a Covid-19. Em um breve texto no Instagram, o surfista comentou que foi um erro não ter priorizado o imunizante.

“Vacina salva vidas, galera! Foi um erro eu não ter conseguido encaixar a imunização na minha agenda de treinos pros desafios desse ano, focado no Campeonato Mundial, mas em breve tomarei a minha”, disse Medina.

Medina justificou porque não tomou a vacina contra a Covid-19 – Foto: Reprodução Instagram/NDMedina justificou porque não tomou a vacina contra a Covid-19 – Foto: Reprodução Instagram/ND

Mesmo com o COB (Comitê Olímpico do Brasil) disponibilizando vacina contra a Covid-19 aos atletas que foram para as olimpíadas de Tóquio, Medina ficou de fora da final do Mundial de Surfe por não ter se vacinado.

O atleta, que voltou de Tóquio sem medalha, comentou que não vai para Teahupoo, no Taiti, onde será disputada a final do mundial de surfe, por precisar cumprir quarentena por não ter tomado a vacina contra a Covid-19.

Medina comentou polêmica envolvendo vacina e a final do Mundial de Surfe – Foto: Reprodução/NDMedina comentou polêmica envolvendo vacina e a final do Mundial de Surfe – Foto: Reprodução/ND

“Eu não vou para Teahupoo porque eu não tomei a vacina e aí tem que fazer 10 dias de quarentena. Aí não dá tempo de ir do México, que é uma seguida da outra. Aí vou ser obrigado a não ir. Sacanagem. Mas de boa”, disse Medina durante live.

Medina é o líder do raking com mais de 13 mil pontos à frente de Ítalo Ferreira, que conquistou medalha de ouro em Tóquio e é o segundo colocado no raking mundial.

A disputa no México será entre os dias 10 e 19 de agosto, já a de Teahupoo entre 24 de agosto e 3 de setembro. Medina esta tranquilo pois tem grande vantagem no tricampeonato mundial.

Nesta sexta etapa do campeonato, Medina soma 46.720 pontos, já Ítalo é o segundo com 33.555 pontos ao todo.

90% dos atletas brasileiros se vacinaram para Tóquio

A vacinação contra a Covid-19 não era obrigatória para os atletas brasileiros que foram para Tóquio, mas o COB disponibilizou o imunizante e vacinou, pelo menos com a primeira dose, 90% dos atletas.

Medina foi para as olimpíadas insatisfeito com o COB, por não poder levar a esposa Yasmin Brunet para Tóquio. Medina afirmou que viajou com sentimento de que falta algo depois que o COB negou uma credencial para sua esposa, a modelo Yasmin Brunet.

Medina embarca para Tóquio e fala sobre ausência da mulher, Yasmin Brunet – Foto: Instagram/Divulgação/NDMedina embarca para Tóquio e fala sobre ausência da mulher, Yasmin Brunet – Foto: Instagram/Divulgação/ND

Medina criticou o COB por não autorizar a presença de Yasmin na delegação. Segundo o atleta, a mulher o acompanhou em todas as etapas para desempenhar a função que era do padrasto, Charles, de preparação mental, nutricional e também no levantamento estatístico.

O COB informou que havia realizado a substituição do padrasto pelo australiano Andy King para atuar como treinador do atleta. Segundo a entidade, somente um profissional que esteja credenciado na lista pode substituir outro.

A entidade disse ainda que “há uma limitação de credenciais para as delegações, e a política do COB é de que os oficiais tenham funções estritamente técnicas”.

+

Saúde

Loading...