Meio-Oeste de Santa Catarina fica no risco grave da Covid-19

Erro na avaliação foi identificado pela Secretaria de Estado da Saúde; após nova análise nos dados o risco na região foi classificado como grave e não gravíssimo

“Fomos pegos de surpresa com a mudança para o nível gravíssimo. Isso nos gerou muitas preocupações”, afirmou o presidente da AMMOC (Associação dos Municípios do Meio-Oeste Catarinense), Walter Kleber Kucher Júnior.

A manifestação ocorreu após a mudança na matriz de avaliação de risco em potencial para a transmissão da Covid-19, divulgada pela SES (Secretaria de Estado da Saúde) de Santa Catarina. Na matriz desta quarta-feira (11) a região havia subido de alto (cor amarela) para gravíssimo (cor vermelha).

No mapa desta quarta-feira (11) a região estava no risco gravíssimo (cor vermelha). – Foto: Governo de Santa CatarinaNo mapa desta quarta-feira (11) a região estava no risco gravíssimo (cor vermelha). – Foto: Governo de Santa Catarina

Nova análise e correção

Após reunião realizada com os municípios do Meio-Oeste, a AMMOC solicitou uma revisão nos dados informados, uma vez que, segundo a associação, os números não se enquadravam no nível gravíssimo.

A revisão foi feita pela SES que confirmou na tarde desta quinta-feira (12), a atualização para o nível grave (cor laranja).

Novo mapa de risco divulgado pela SES nesta quinta-feira (12). Meio-Oeste passou ao nível grave – Foto: SES/Divulgação/NDNovo mapa de risco divulgado pela SES nesta quinta-feira (12). Meio-Oeste passou ao nível grave – Foto: SES/Divulgação/ND

“Após ser verificado um erro na atualização do sistema de leitos, o equívoco foi constatado e houve uma reunião com os prefeitos da região para explicar a correção. A região do Meio-Oeste, na atualização, está na cor laranja – risco potencial grave”, informou a Secretaria em nota oficial.

Situação preocupa

Mesmo com a correção da SES, a AMMOC está preocupada com o aumento do nível entre os 12 municípios que fazem parte do Meio-Oeste. Segundo o presidente da AMMOC, essa revisão traz um pouco de alívio, mas também acende um alerta para o aumento do contágio.

Estávamos no nível alto e evoluímos para o grave. Se continuar assim a tendência é crescer cada vez mais. Precisamos da conscientização e colaboração das pessoas para revertermos essa situação”, destaca o presidente.

Painel de contágio

Conforme dados divulgados pela SES, na macrorregião que abrange o Meio-Oeste e a região Serrana são 28.026 casos confirmados da Covid-19. O número é o penúltimo entre as sete macrorregiões, à frente apenas do Grande Oeste que conta com 23.619 casos confirmados.

O contágio está em crescimento na região Meio-Oeste catarinense – Foto: PixabayO contágio está em crescimento na região Meio-Oeste catarinense – Foto: Pixabay

Com relação ao número de mortes a macrorregião contabiliza 344 óbitos. No número de leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) a macrorregião conta com 181 leitos ativos e 132 (72,93%) estão ocupados. Destes, 37 são por pacientes com a Covid-19. Outros 49 leitos de UTI seguem disponíveis.

A região da AMURES (Associação dos Municípios da Região Serrana) conta com 18 municípios e também está na classificação de risco potencial grave para o contágio da Covid-19.

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Chapecó e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.

+

Saúde