Ministério da Saúde confirma mais um grupo apto a receber a 3ª dose da vacina

Anúncio foi feito pelo chefe da pasta, Marcelo Queiroga, nesta sexta-feira e a intenção é priorizar a aplicação da vacina da Pfizer

Foi anunciado nesta sexta-feira (24), pelo ministro da Saúde Marcelo Queiroga, a inclusão dos profissionais da saúde no grupo apto a receber uma dose de reforço da vacina contra a Covid-19.

Vacinas da Pfizer contra a Covid-19; <a href="https://ndmais.com.br/?s=dose+de+refor%C3%A7o" target="_blank" rel="noopener noreferrer">doses de reforço</a>, segundo orientação do Ministério da Saúde, devem ser aplicadas com o imunizante &#8211; Foto: Fotos Públicas/divulgação/NDVacinas da Pfizer contra a Covid-19; doses de reforço, segundo orientação do Ministério da Saúde, devem ser aplicadas com o imunizante – Foto: Fotos Públicas/divulgação/ND

A aplicação deverá ocorrer a partir de seis meses de imunização completa dos respectivos profissionais.

“Acabamos de aprovar a dose de reforço para profissionais de saúde, preferencialmente com a Pfizer, a partir de seis meses após a imunização completa. Essa já é a maior campanha de vacinação da história do Brasil”, postou em suas redes sociais.

Até então a orientação da pasta era para idosos acima dos 70 anos e imunossuprimidos (pessoas transplantadas, com câncer e outros tipos de doenças graves).

A recomendação, em caso de dose de reforço, é usar a vacina da Pfizer-BioNTech ou, na falta deste, os imunizantes da AstraZeneca e da Janssen.

Ministro em isolamento

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, testou positivo para a Covid-19 na noite da última terça-feira (21). O ministro era integrante da comitiva que acompanha o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), em Nova York, para Assembleia Geral das Nações Unidas.

*Com informações da Agência Brasil

+

Saúde

Loading...