Ministério da Saúde emite nova orientação para vacinação de grávidas contra Covid-19

Orientações constam em informe técnico da pasta; Secretaria de Saúde define situação da vacinação do grupo em reunião nesta quinta

O Ministério da Saúde publicou na tarde desta quarta-feira (12) uma orientação para que os Estados prossigam a vacinação das gestantes e puérperas com comorbidades. Entretanto, o grupo deve ser imunizado apenas com as vacinas Pfizer e Coronavac. A aplicação da Astrazeneca segue suspensa.

O documento orienta que a imunização das grávidas sem comorbidades continue suspensa. A pasta deve publicar uma nota técnica com as orientações quanto a vacinação das gestantes que já tomaram a primeira dose da vacina Astrazeneca.

Ministério da Saúde emite nova orientação para vacinação de grávidas contra Covid-19Vacinação de gestantes está suspensa em SC desde terça-feira. O Ministério da Saúde orientou a suspensão após suspeita de de trombose em grávida dias depois da aplicação da Astrazeneca. O caso ainda é investigado – Foto: Arquivo/Pixabay

As informações estão no informe técnico referente a distribuição da 19ª remessa de vacinas. Santa Catarina receberá nesta quinta-feira (13) 152.550 novas doses – 79.750 são do imunizantes Astrazeneca e outros 70 mil doses são da vacina produzida pelo Instituto Butantan.

“A vacinação de gestantes e puérperas com comorbidades deverá prosseguir com as demais vacinas Covid-19 em uso no país
visto que o perfil risco/benecio da vacinação neste grupo é altamente favorável (Sinovac/Butantan e Pfizer)”

A SES (Secretaria Estadual de Saúde) suspendeu a vacinação de gestantes nesta segunda-feira (11) em Santa Catarina, após orientação do Ministério da Saúde. A Dive/SC (Diretoria de Vigilância Sanitária) realiza reunião na tarde desta quarta-feira para definir o tema. Até às 16h20, o encontro seguia em andamento.

Suspensão da Astrazeneca

O motivo da suspensão foi uma suspeita de trombose em decorrência da aplicação da Astrazeneca. Uma gestante morreu no Rio de Janeiro dias depois de tomar o imunizante produzido pela Fiocruz. Foi o único caso registrado no país.

Ainda é investigado se o quadro de trombose da gestante teve, de fato, correlação com a vacina. Não há relatos semelhantes quanto a aplicação dos outros dois imunizantes utilizados no Brasil. A bula de todas as três vacinas relatam que não há resultados conhecidos da aplicação dos respectivos imunizantes em gestantes.

O Brasil conta com uma média de 25,2 gestantes e puérperas mortas por Covid-19, semanalmente. Comparado ao ano anterior, o número mais que dobrou: a média era de 10,3 vítimas. Em Santa Catarina, 19 gestantes já perderam a vida para o vírus.

+

Saúde