Ministério da Saúde pede que mulheres adiem gravidez até que cenário da pandemia melhore

Secretário de Atenção Primária à Saúde, Raphael Parente diz que apesar da falta de estudos, “a visão clínica de especialistas mostra que a variante nova tem ação mais agressiva"

Por meio do secretário de Atenção Primária à Saúde, Raphael Parente, o Ministério da Saúde, sugeriu, nesta sexta-feira (16), que as mulheres adiem, se possível, os planos de gravidez até que o cenário da pandemia no Brasil apresente uma melhora.

mulheres gravidezVariante do coronavírus é mais agressivo a grávidas, segundo Ministério da Saúde – Foto: Arquivo/Jaqueline Noceti/Secom/Divulgação/ND

Mais cedo, o secretário havia afirmado que há uma pressão dos médicos ginecologistas obstetras para que todas as grávidas sejam incluídas no plano de vacinação contra a Covid-19 e não apenas as que apresentam comorbidades.

Segundo o secretário, apesar da falta de estudos, “a visão clínica de especialistas mostra que a variante nova tem ação mais agressiva em gestantes”.

“Neste momento do pico epidêmico, pela situação que está acontecendo em alguns locais, deve ser avaliado – como aconteceu com o zika vírus em 2016 -, caso possível, postergar um pouco a gravidez para um melhor momento com uma gravidez mais tranquila”, disse Medeiros.

“É óbvio que a gente não pode falar isso para alguém que tem 42 ou 43 anos, mas para uma mulher jovem, que pode escolher o seu momento de engravidar, o mais indicado agora é esperar um pouquinho até a situação ficar um pouco mais calma”, completou.

O secretário reforçou a recomendação justificando que a gestação facilita, naturalmente, a formação de coágulos sanguíneos e trombose, o que pode tornar a infecção por Covid-19 ainda mais perigosa na gravidez.

Grávidas em grupos de risco devem se vacinar

Raphael Parente também reforçou que, conforme portaria do Ministério da Saúde publicada no dia 15 de março, mulheres grávidas que tenham doenças prévias têm recomendação de receber uma vacina contra a Covid-19 e já podem ir aos postos se vacinar.

As grávidas que não têm doenças também podem ser vacinadas depois de passar por uma avaliação de risco e benefícios.

*Com informações do Estadão Conteúdo

+

Saúde

Loading...