Morre empresário Cariê Lindenberg aos 85 anos

Ele era presidente do Conselho de Administração da Rede Gazeta, maior rede de comunicação do Espírito Santo

O empresário Carlos Fernando Lindenberg Filho, conhecido como Cariê Lindenberg, morreu nesta terça-feira (6) em Vitória (ES), aos 85 anos. Ele faleceu em decorrência de complicações causadas por uma pneumonia.

Presidente da Rede Gazeta, Cariê Lindenberg morreu aos 85 anos – Foto: Divulgação/Rede GazetaPresidente da Rede Gazeta, Cariê Lindenberg morreu aos 85 anos – Foto: Divulgação/Rede Gazeta

O velório e o enterro serão restritos à família, por conta da pandemia de coronavírus. Ele deixa três filhos – Carlos Fernando (Café), Letícia e Beatriz – e cinco netos – Eduardo, Mariana, Carlos Fernando, Carolina e Antônio.

Lindenberg era presidente do conselho de administração da Rede Gazeta, conglomerado de mídia com sede no Espírito Santo. Nascido no Rio de Janeiro, Cariê Lindenberg foi levado para Vitória com apenas 17 dias de vida e se considerava capixaba.

Ele era filho de Maria Antonieta e do ex-governador do Espírito Santo Carlos Fernando Monteiro Lindenberg, que comandou o Estado por dois mandatos (1947-1951 e 1959-1962).

Em 1958, Lindenberg se formou em direito na PUC (Pontifícia Universidade Católica) do Rio de Janeiro. Na década de 60, ingressou na área de comunicação ao assumir o jornal A Gazeta, adquirido por sua família. Atuando para a expansão dos negócios, fundou a TV Gazeta, hoje afiliada da TV Globo, em 1976. Nas décadas seguintes, investiu em tecnologia, fundando também o site do jornal.

O empresário era defensor do jornalismo e da liberdade de expressão. Além de empresário, Lindenberg era músico e escritor, tendo dedicado os últimos 18 anos à literatura, com a publicação de seis livros. Passou os últimos anos se dividindo entre a leitura e a música em sua residência. Durante a pandemia, o empresário permaneceu em isolamento social.

Em postagem no Twitter, o governador do Espírito Santo, Renato Casagrande (PSB), lamentou a morte de Cariê Lindenberg. “Cariê se notabilizou como defensor da democracia e da liberdade de imprensa. Sua história orgulha os capixabas. Siga em paz”, escreveu.

Casagrande também decretou luto oficial de três dias em todo o Estado. Em nota, a Rede Gazeta destacou a atuação de Lindenberg para a modernização do grupo. 

“Cariê é um alicerce da história da Rede Gazeta. Foi quem transformou um jornal impresso em uma rede de comunicação plural e conectada com o Espírito Santo. Seja na TV, nas rádios ou na internet, o jornalismo e o entretenimento produzidos pelos veículos da Rede Gazeta têm o DNA de Cariê Lindenberg. A empresa se despede não apenas de seu presidente, mas de alguém que enraizou aqui o compromisso com a verdade, com a seriedade e com as milhões de pessoas que hoje constroem conosco novos capítulos da história”, declarou.

+

Saúde