MPSC solicita informações sobre superlotação de UTIs Covid-19 em Chapecó

Ofício foi expedido na tarde desta terça-feira (9) para a Secretaria Municipal de Saúde, que tem o prazo de 48 horas para esclarecimentos

O MPSC (Ministério Público de Santa Catarina) solicitou à Secretaria de Saúde de Chapecó, no Oeste de Santa Catarina, informações sobre a superlotação de UTIs (Unidades de Terapia Intensiva) Covid-19 no município.

A 13ª Promotoria de Justiça da Comarca de Chapecó solicitou que a Secretaria se manifeste, no prazo de 48 horas a partir da tarde desta terça-feira (9), sobre o possível colapso do sistema hospitalar em Chapecó.

O maior hospital da região Oeste sofre com a superlotação dos leitos de UTI Covid-19 – Foto: Divulgação/NDO maior hospital da região Oeste sofre com a superlotação dos leitos de UTI Covid-19 – Foto: Divulgação/ND

A Promotoria pede informações sobre quais providências estão sendo adotadas para enfrentar a superlotação dos leitos reservados ao atendimento de pacientes com Covid-19.

O promotor de Justiça Felipe Schmidt também requer que o município comprove, com a documentação apropriada e necessária, as medidas que vêm sendo aplicadas para garantir o atendimento de saúde à população.

De acordo com a Promotoria, o requerimento de informações foi motivado por notícias veiculadas na imprensa local e do estado sobre a superlotação das UTIs do HRO (Hospital Regional do Oeste) e do quadro de iminente colapso do sistema de tratamento e internação de pacientes com Covid-19 nos hospitais da cidade e da região.

A Administração Municipal informou que ainda não foi notificada mas vai prestar as informações assim que receber o documento. “A notícia foi recebida com tranquilidade, pois o Ministério Público vem fazendo esse acompanhamento desde o início da pandemia”, disse a prefeitura.

Acesse e receba notícias de Chapecó e região pelo WhatsApp do ND+

Entre no grupo
+

Saúde