Na CPI, Pedro Benedito nega defender ‘imunidade de rebanho’, mas se contradiz em vídeo

Prevent Senior é alvo de denúncia encaminhada à CPI por médicos que trabalharam na operadora durante o período mais agudo da pandemia

O diretor-executivo da operadora de saúde Prevent Senior, Pedro Benedito Batista Júnior, apresentou contradições durante o depoimento que prestou à CPI da Covid, nesta quarta-feira (22).

Após afirmar que nunca defendeu a chamada ‘imunidade de rebanho natural’, o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) mostrou um vídeo, feito em junho do ano passado, no qual o médico disse que “as pessoas precisam se contaminar”.

Diretor-executivo foi ouvido nesta quarta-feira – Foto: Agência Senado/Divulgação/NDDiretor-executivo foi ouvido nesta quarta-feira – Foto: Agência Senado/Divulgação/ND

A imunidade de rebanho é a tese de que quanto mais pessoas se contaminarem, melhor, porque haveria o desenvolvimento de uma imunidade natural. A questão é refutada pela ciência, por deixar um grande número de mortes, além do fato de uma pessoa poder se contaminar com o vírus e desenvolver a doença mais de uma vez.

“O senhor, em algum momento, defendeu a imunidade de rebanho?”, questionou Randolfe. Benedito Batista respondeu: “De modo algum. A imunidade de rebanho poderia acontecer, mas nós não sabemos quando ela pode acontecer e se aconteceria. O que sabemos é que pode ter uma evolução natural da doença. Mas o que se mostrou no avanço natural da doença é que ela se mantinha grave com ondas claras de gravidade”.

Contudo, nas imagens do dia 2 de junho do ano passado, ele disse: “Se essa quinta-feira vier realmente com nível de óbito menor que apareceu no país e continuarmos aí com aumento do número de casos, a gente tem um bom indício, porque estão tendo mais pessoas contaminadas. Isso é bom, isso não pode ter uma conotação negativa, porque se a gente está falando que a população precisa ficar imunizada, as pessoas precisam se contaminar. E quem tá contaminado e teve poucos sintomas e já está bem, significa que está imunizado neste momento”.

Questionado novamente, o médico justificou que havia apenas três meses de pandemia naquela ocasião, e que posteriormente não mais defendeu a ideia defendida no vídeo.

No depoimento, o diretor-executivo ainda acusou ex-funcionários de furtar e adulterar dados de pacientes da operadora para “fabricar” denúncias contra a empresa.

A empresa é alvo de denúncia encaminhada à CPI por médicos que trabalharam na operadora durante o período mais agudo da pandemia. Segundo uma das acusações, a rede teria limitado o uso de equipamentos de proteção individual no atendimento dos clientes, chegando a proibir o uso de máscaras em algumas situações.

Grupo de WhatsApp

Após afirmar não ter relação com integrantes do chamado “gabinete paralelo”, o diretor-executivo admitiu que chegou a ser incluído num grupo de mensagens por meio do empresário Carlos Wizard, apontado como integrante do gabinete. Contudo, afirmou que não aceitou participar e que saiu “imediatamente”.

“Esse grupo de WhatsApp é o gabinete paralelo que o senhor participou”, afirmou o presidente da CPI, Omar Aziz (PSD-AM), que questionou o diretor da Prevent sobre o episódio. Segundo Batista, sua decisão de não permanecer foi motivada por não ver “sentido” no grupo.

“Simplesmente porque não via nenhuma situação que fosse plausível para ter um grupo desse. Quando tentaram me explicar qual era o motivo do grupo, não entendi, não tinha objetivo próprio e eu saí do grupo imediatamente, não tinha por que permanecer em algo que eu não via sentido”, afirmou aos senadores.

Durante esta quarta, o relator da CPI da Covid, Renan Calheiros (MDB-AL), afirmou que Pedro Benedito Batista Júnior vai entrar para o rol de investigados pela Comissão. Com o andamento da oitiva, na qual os senadores reforçaram acusações contra a operadora de saúde, Renan anunciou a mudança.

Depoimento

O diretor-executivo da operadora de saúde Prevent Senior, Pedro Benedito Júnior, prestou depoimento na CPI da Covid, no Senado, nesta quarta-feira (22).

O parecer do diretor estava agendado para quinta-feira passada (16), mas ele não compareceu. Os advogados alegaram que Pedro Benedito Júnior não teve tempo suficiente para se programar e comparecer à CPI.

Parlamentares visam mais esclarecimentos sobre o uso de medicamentos do kit Covid-19, além de um dossiê encaminhado por servidores à Comissão apontando que a empresa teria ocultado mortes pela doença.

O executivo da Prevent Senior obteve habeas corpus do STF para ficar em silêncio em questionamentos que possam incriminá-lo.

Confira o depoimento na íntegra:

*Com informações de Estadão e R7

+

Saúde

Loading...