ND Explica: regras estabelecem como será a volta às aulas em SC

Uso obrigatório de máscaras, suspensão de atividades coletivas e mudança na alimentação dos estudantes são algumas das mudanças

O retorno das aulas presenciais na rede estadual de Santa Catarina ainda é incerto, mas novas diretrizes foram acertadas nesta terça-feira (28). A reunião resultou em um documento de 46 páginas, com uma série de regras (confira abaixo), e que normatiza a volta às aulas com medidas de prevenção para a Covid-19, quando o retorno presencial for considerado seguro e viável.

Aulas presenciais estão suspensas até 7 de setembro em virtude de decreto estadual – Foto: PMB/Divulgação/ND

As aulas estão suspensas até o dia 7 de setembro, em virtude do decreto publicado pelo Governo do Estado, abarcando aulas em todas os níveis de ensino.

Veja em detalhes como deve ser a volta às aulas em Santa Catarina:

Retorno gradual: há possibilidade de que a retomada ocorra de forma gradativa, com intervalos ou retorno em dias alternados, de forma a evitar a aglomeração logo no retorno às aulas.

Máscaras: a máscara é um dos artigos que devem passar a fazer parte do dia-a-dia dos estudantes, professores e profissionais da rede estadual de educação. Os professores deverão utilizar modelos descartáveis e trocá-las ao fim de cada aula, enquanto alunos, trabalhadores e demais visitantes podem usar máscaras de tecido ou descartáveis e substituí-las a cada duas horas durante o tempo que ficarem na escola.

Temperatura: a temperatura será medida na entrada da escola, barrando quem tiver temperatura de 37,8º C ou acima disso. Na saída, os alunos terão um escalonamento, assim como horários de intervalo e afins, como forma de prevenir aglomerações.

Atividades suspensas: atividades como futebol, vôlei e outros esportes coletivos ficarão suspensos.

Sintomas: alunos que apresentem qualquer sintoma de gripe ficarão isolados, e os trabalhadores e alunos que estejam com sintomas serão monitorados. Será aplicado um questionário prévio para identificar trabalhadores sintomáticos, além da recomendação de um mapeamento de quais estudantes e trabalhadores estão no grupo de risco. Os que estiverem, terão trabalho remoto priorizado.

Atividades remotas: as atividades não presenciais serão validadas para cumprir a carga horária mínima, e os que não puderem retornar presencialmente seguirão em ensino à distância. A escola deverá discutir individualmente com os alunos o acesso às aulas não-presenciais e avaliar o desenvolvimento de cada estudante em relação aos objetivos de aprendizagem e habilidades propostas.

Apoio psicológico: será prestado apoio psicossocial a estudantes, familiares e profissionais da educação, e serão realizados simulados para capacitar a comunidade escolar para entender e respeitar as novas normativas das aulas presenciais antes do retorno. Ainda não foi detalhado como isso será feito.

Transporte escolar: haverá adequação da frota para o número de alunos, considerando a limitação e o distanciamento social. Motorista, monitor e outros profissionais terão que usar máscaras do tipo escudo ou face shield.

Alimentação: a oferta de alimentos será substituída por porções individualizadas ou serão colocados funcionário(s) específico(s) para servir todos os pratos e entregar utensílios. Haverá horários alternados na utilização de refeitórios, e as mesas e cadeiras serão reorganizadas para manter 1,5 metro entre as pessoas. Alimentos externos serão desencorajados mas, caso necessário, estes serão higienizados e embalados conforme recomendações sanitárias.

+

Saúde