No Brasil, 8,5 milhões de pessoas estão com a 2ª dose da vacina atrasada

Imunização só é considerada completa quando o ciclo vacinal é finalizado com duas doses ou vacina de dose única

No levantamento realizado pelo Ministério da Saúde, cerca de 8,5 milhões de brasileiros não retornaram aos pontos de imunização para receber a segunda dose da vacina contra a Covid-19.

Dose final é indispensável para eficácia dos imunizantes – Foto: Lucas Sabino/Prefeitura Nova Veneza/Divulgação/NDDose final é indispensável para eficácia dos imunizantes – Foto: Lucas Sabino/Prefeitura Nova Veneza/Divulgação/ND

Conforme os dados mais recentes do painel de vacinação da pasta de saúde nacional, até o momento, 53,2 milhões de pessoas tomaram a segunda dose. O número de ‘atrasados’ corresponde a 16% dos brasileiros que completariam o ciclo.

Na avaliação por Estados, os que têm mais pessoas em atraso são, na ordem, São Paulo, com 1,69 milhão; Rio de Janeiro, com 1,06 milhão; e Minas Gerais, fechando o ranking com 1,02 milhão.

2ª dose em SC

Em Santa Catarina, de acordo com o vacinômetro do Estado, 1.926.264 de pessoas já receberam a segunda dose, correspondendo a 26,56% da população total catarinense.

Em Florianópolis, 37,7% das pessoas já concluíram o ciclo vacinal. Nas demais cidades do entorno da Capital, Biguaçu aparece com 13%, São José com 24,5% e Palhoça com 28,7%.

No Norte do Estado, em Joinville, 22,8% já finalizaram a imunização. Em Balneário Barra do Sul, 40,6% já estão imunes. No Sul, Criciúma aparece com 29,7%. Na Serra, Lages conta com 30,9% e Urupema com 45%. Por fim, no Oeste, Chapecó já imunizou 27,6% da população com as duas doses.

Variantes pelo país

Autoridades de saúde consideram fundamental a conclusão do ciclo vacinal, uma vez que apenas a primeira dose de imunizante não garante proteção adequada contra o vírus, especialmente com a disseminação da variante Delta.

Um estudo de feito por instituições de pesquisa e universidades inglesas, publicado no jornal científico New England Journal of Medicine neste mês, trata da eficácia de vacinas contra as variantes Alfa e Delta.

Segundo a publicação, a eficácia da vacina da AstraZeneca na variante Alfa foi de 48,7% com a primeira dose e de 74,5% com a segunda. Já com a variante Delta, a eficácia foi de 30% com a primeira dose e de 67%, com a segunda.

Para a vacina da Pfizer, os índices de eficácia para a variante Alfa foram de 47,5% na primeira dose e de 93,7%, na segunda. Nos casos de infecção com a variante Delta, os percentuais atingiram 35,6% com a primeira dose e 88% com a segunda.

+

Saúde

Loading...