Núcleo de Segurança do Paciente: investindo na gestão do cuidado durante a internação

Investir em análise técnica especializada resulta em desfechos clínicos positivos para todos os envolvidos

Núcleo de Segurança do Paciente evita situações adversas – Foto: Divulgação

Provavelmente você já ouviu alguma história de um evento adverso que ocorreu com alguém durante o período de internação hospitalar.

Perda de um acesso venoso ou sonda, queda ao ir ao banheiro, lesão de pele por pressão, infecções “hospitalares” (infecções relacionadas à assistência à saúde).

Também interações medicamentosas ou até cirurgia em local errado são exemplos de incidentes que podem trazer danos irreversíveis aos pacientes.

Eventos adversos como estes são frequentes, segundo divulgação do IBSP (Instituto Brasileiro de Segurança do Paciente) e, em grande parte, podem ser evitados.

Equipe multidisciplinar para prevenção

Para melhorar cuidado em saúde, garantir a segurança do paciente, evitar eventos adversos e aumentar o número de desfechos clínicos positivos, existe o Núcleo de Segurança do Paciente (NSP), que é formado por uma equipe multidisciplinar preparada para atuar na prevenção desses eventos.

André Machado Júnior, diretor de Mercado na Qualirede, explica que já se avançou em recursos para segurança do paciente, porém os riscos também aumentaram com o tempo.

“Analisando a evolução da assistência à saúde, é possível perceber que dispomos de mais opções de tratamento eficientes do que no século passado, porém os riscos associados também são maiores e frequentes”, declara Machado.

No Brasil, o Plano Nacional para Segurança do Paciente (PNSP) instituiu, desde 2013, a obrigatoriedade da existência de um grupo multidisciplinar que analisa questões relacionadas à segurança do paciente em serviços de saúde, o Núcleo de Segurança do Paciente (NSP).

Núcleo de Segurança do Paciente Qualirede

 A Qualirede possui um Núcleo de Segurança do Paciente que garante a cultura da segurança e da coordenação do cuidado aos pacientes internados.

Além disso, auxilia os prestadores na redução da incidência de eventos adversos e a identificar a existência de não conformidades em processos realizados.

Também na utilização de medicamentos, equipamentos e insumos, propõe medidas corretivas e preventivas, com o objetivo final de garantir a qualidade e segurança dos atendimentos prestados aos beneficiários.

O núcleo oferece suporte técnico à equipe de auditoria do cuidado, dando subsídio para que o auditor identifique situações de risco tanto nos registros de prontuário quanto nas visitas realizadas beira leito.

Assim, é possível avaliar a assistência prestada, estrutura do leito, identificação do paciente e materiais utilizados, como medicações, curativos, etc.

Através do diálogo com os pacientes e apontamentos às equipes assistenciais, o Núcleo atua na diminuição dos riscos por meio da adesão aos protocolos assistenciais pelos envolvidos nos processos.

Como evitar os eventos adversos?

 Apesar de todas as ações voltadas ao cuidado, alguns aspectos favorecem a ocorrência de falhas não intencionais durante a assistência ao paciente. São eles, dimensionamento de pessoal inadequado, estresse, sobrecarga de trabalho e formação deficiente.

“Mesmo quando o hospital ou clínica conta com uma equipe de excelência, eventos adversos são passíveis de acontecer e, provavelmente, vão acontecer”, observa Machado.

“Por isso, investir no Núcleo de Segurança do Paciente é uma forma de diminuir as intercorrências e promover a qualidade do atendimento.  Além de diminuir os riscos, o resultado aparece nos desfechos clínicos positivos”, diz o diretor.

+

Saúde é tudo