‘O hospital não dá mais conta’, desabafa médica de Blumenau sobre leitos para Covid-19

Coordenadora do setor de oncologia pediátrica diz que leitos das crianças já precisaram ser usados para pacientes com coronavírus e afirma que a situação é cada vez mais difícil

A situação dos hospitais de Santa Catarina segue cada vez mais caótica e, apesar dos números impressionantes a cada dia, muitas vezes só eles não traduzem a realidade vivida em cada unidade de saúde do Estado.

Na segunda-feira (15), a médica Marcela de Moraes Barros e Sousa, que coordena a Oncologia Pediátrica do Hospital Santo Antônio (HSA), em Blumenau, divulgou um ofício que ela mesma encaminhou para as secretarias municipal e estadual de Saúde, vereadores e empresários de Blumenau relatando a situação do setor.

Hospital Santo Antônio, Blumenau – Foto: Divulgação/HSAHospital Santo Antônio, Blumenau – Foto: Divulgação/HSA

Segundo ela, leitos que serviriam para atender as crianças com câncer que fazem tratamento na unidade precisaram ser utilizados para pacientes com Covid-19.

“Sofremos nestes últimos 12 meses com falta de médicos e funcionários. Perdemos dois pacientes pela Covid. Mas até o presente momento não tínhamos ficado sem leitos de internações, sem medicações, monitores ou insumos para nossos pacientes oncológicos pediátricos. Porém, neste fim de semana, pelo esgotamento de leitos, se fez necessária a internação de adultos na ala pediátrica e nos quartos destinados à quimioterapia e tratamento das complicações dos pacientes oncológicos pediátricos”, diz a médica em um trecho do ofício.

À reportagem do ND+, a oncologista desabafou. Ela deixou claro eu a intenção nunca foi criticar do hospital, que sempre ofereceu todo o suporte possível para as crianças e relutou o quanto pôde para evitar a ocupação dos leitos do setor, mas sim alertar para a situação que acontece dentro dos hospitais.

Segundo ela, o HSA tem 37 crianças em tratamento de quimioterapia no momento, sendo que uma parte dos pacientes recebe um atendimento ambulatorial – vai até o hospital e depois volta para casa. Porém, mais da metade das crianças precisa de internação para as sessões.

O setor tem oito leitos de oncologia pediátrica, o que faz com que a operação ocorra sempre no limite.

“O que tem acontecido: os pacientes de convênio nós já perdemos esses leitos há alguns meses, já é UTI Covid e todos são atendidos na parte do SUS. Várias alas do hospital estão internando, (na oncologia pediátrica) não teve adulto Covid (até o fim de semana), mas gestantes, acidentados, outros pacientes. Nunca tinha acontecido, nos prometeram que não seria usado porque há a gente vem atrasando as ‘quimios’ por um, dois, três dias, e no sábado (13) me ligaram falando que internaram um adulto no nosso quarto de ‘quimio’ que estava vazio naquele momento, porque ia internar os pacientes só na segunda (15)”. 

Ofício de oncologista pediátrica relatando situação vivida dentro do Hospital Santa Isabel em Blumenau – Foto: Reprodução/Redes SociasOfício de oncologista pediátrica relatando situação vivida dentro do Hospital Santa Isabel em Blumenau – Foto: Reprodução/Redes Socias

Marcela Barros Sousa explica por que a situação é grave. Segundo ela, o câncer infantil tem uma evolução muito rápida e um atraso de dias pode comprometer o tratamento. Para a médica, a situação do fim de semana escancara o colapso que vivem os hospitais de Blumenau, para além dos números.

“O hospital não dá mais conta. Falaram que o que eu fiz era terrorismo, para causar pânico, mas terrorismo é o que os pacientes vivem diariamente, com o medo de pegar a Covid, o medo da morte, de chegar aqui no hospital e não ter vaga para fazer a quimioterapia, de ter uma febre, precisar de leito e não ter. Eu cansei e explodi, falei com o prefeito, porque a situação não está bonitinha como as pessoas pensam”, desabafa.

Hospital se pronuncia

O Hospital Santo Antônio se manifestou sobre a situação por meio de nota oficial na qual não nega a ocupação dos leitos da oncologia pediátrica por pacientes com Covid-19, embora não fale especificamente do caso.

“Há momentos em que necessitamos realocar pacientes adultos para diversas áreas do Hospital em decorrência da superlotação de determinados setores, mas estamos trabalhando em conjunto para não faltar atendimento para nossos pacientes e também à população”, diz a nota.

A unidade de saúde também destaca a superlotação e a exaustão à qual os profissionais estão submetidos e reitera que não medirá esforços para manter o atendimento à população de Blumenau e região, mas não esconde que o momento é de dificuldade.

Confira abaixo a nota na íntegra:

“NOTA OFICIAL

O Hospital Santo Antônio se solidariza com todos os profissionais de saúde, que incansavelmente se colocam à disposição, sem medir esforços, para atenderem as pessoas que nesta instituição centenária buscam auxílio. Neste momento, todos estão angustiados, trabalhando em prol do tratamento de todos os nossos pacientes em atendimento e os que chegam a todo momento. Mantendo, coordenando e criando medidas precisas e eficazes para que nosso contingenciamento de medicamentos e insumos seja suficiente para que possamos atender o maior número possível de pessoas que aqui vierem em busca de atendimento.

O momento atual requer muita atenção e, em especial, solidariedade da população, haja vista que a covid-19 é a principal causa de morte no Brasil e no mundo, conforme é divulgado atualmente por diversos meios, porém não podemos esquecer que existem pacientes de diversas patologias que necessitam de atendimento rápido e eficaz, como é o caso do câncer, dentre outros, que atinge crianças e adultos diagnosticados diariamente.

Esses pacientes necessitam de acompanhamento e atendimento primordial e estamos trabalhando incansavelmente para que não ocorra falta de medicação ou insumos para nossos pacientes de uma forma geral, no caso dos pacientes oncológicos, pediátricos e adultos, informamos que não houve até o momento falta dos mesmos e em momento algum deixamos de atendê-los e continuaremos atendê-los.

Há momentos em que necessitamos realocar pacientes adultos para diversas áreas do Hospital em decorrência da superlotação de determinados setores, mas estamos trabalhando em conjunto para não faltar atendimento para nossos pacientes e também à população.

Nossos colaboradores estão esgotados e trabalhando além da sua capacidade para atender a todos, limitados à capacidade física e material, por isso necessitamos da máxima compreensão da população, para que juntos possamos enfrentar esse momento crítico que estamos vivendo.

O Hospital Santo Antônio, reiteradamente, não medirá esforços para atender a todos que procurarem auxílio nessa instituição histórica, com mais de 160 anos dedicados à saúde da população de Blumenau e mais 47 municípios em seu entorno, contando com o esforço de seus colaboradores, médicos e demais pessoas que participam dessa força e corrente em prol de fazer o melhor e com qualidade, pessoas que estão renunciando de convívio familiar para SALVAR VIDAS.”

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Blumenau e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.

+

Saúde