O que fazer se tomei Coronavac de lote interditado pela Anvisa?

Santa Catarina recebeu mais de 190 mil doses de lotes de Coronavac interditados, mas apenas 293 foram distribuídos

Quem tomou vacinas dos lotes de Coronavac interditados pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) não precisa ser revacinado. O quadro de saúde do morador é acompanhado pelos municípios, informa a Dive/SC (Diretoria de Vigilância Sanitária de Santa Catarina). Não há notificação de efeitos adversos.

Dive orienta moradores que tomaram doses de Coronavac interditadas em Santa CatarinaEnvase das vacinas foi realizado em fábrica que não tinha sido inspecionada pela Anvisa – Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil/Divulgação/ND

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) determinou recolhimento dos lotes nesta quarta-feira (22). Santa Catarina recebeu dois dos 14 lotes alvos da interdição, somando mais de 190 mil doses. Entretanto apenas 293 vacinas foram distribuídas aos municípios.

Na ocasião, o ND+ rastreou as 293 vacinas, distribuídas para as regionais de Lages (40 doses), Xanxerê (252 doses) e Chapecó (01 dose). Apenas 73 doses tinham sido aplicadas – 38 pessoas em Rio Rufino, na Serra, e em outras 35 – sendo todas estas de uma reserva indígena – em Entre Rios, no Oeste catarinense.

A interdição ocorreu pois o Instituto Butantan importou vacinas de uma fábrica do laboratório chinês Sinovac que não recebeu o CBPF (Certificado de Boas Práticas de Fabricação). Ou seja, não tinha sido inspecionada pela Anvisa. A suspensão destes lotes foi decretada no último dia 4.

“A empresa Sinovac localizada no número 41 Yongda Road, Pequim, não comprovou a realização do envase da vacina CoronaVac em condições satisfatórias de boas práticas de fabricação, a Anvisa concluiu, com base no princípio da precaução, que não seria possível realizar a desinterdição dos lotes”, informou a Anvisa, em nota.

Interdição

As demais doses entregues em Santa Catarina ficaram retidas na Central Estadual de Rede de Frio e não foram distribuídas, informa a Dive. Integram este grupo 190,6 mil doses do lote 202108114H, entregues no dia 4 de setembro; assim como 1.807 doses do lote L202106038.

Em todo o Brasil, são recolhidas cerca de 21 milhões de doses que não tinham autorização para distribuição. Em São Paulo, cerca de 4 milhões de doses interditadas foram aplicadas em todo o Estado.

Confira os lotes impactados

São eles: IB: 202107101H, 202107102H, 202107103H, 202107104H, 202108108H, 202108109H, 202108110H, 202108111H, 202108112H, 202108113H, 202108114H, 202108115H, 202108116H e L202106038.

+

Saúde

Loading...