João Paulo Messer

Política, economia, bastidores e tudo que envolve o cotidiano e impacta na vida do cidadão de Criciúma e região.


Orgulho em participar do teste em SC de vacina aprovada pela Anvisa

Núcleo de estudos e pesquisas de hospital de Criciúma participou dos testes da vacina autorizada pela Anvisa nesta semana

Testes foram realizados em centro de estudo em Criciúma – Foto: hospital são joséTestes foram realizados em centro de estudo em Criciúma – Foto: hospital são josé

A liberação da vacina da Janssen (braço farmacêutico da norte-americana Johnson & Johnson), pela Anvisa, nesta semana, segue repercutindo no meio médico, em especial em Criciúma, no sul do Estado. No Hospital São José, onde o imunizante foi testado em etapas que iniciaram em agosto e setembro do ano passado, o Centro de Pesquisas comemora  como um de seus mais importantes trabalhos, nestes quatro anos de atividades.

O médico Felipe Dal Pizzol, investigador principal do processo, classificou o dia da liberação pela Anvisa – quarta-feira dia 1 de abril – como histórico. Criciúma foi a única catarinense que fez os testes junto com outras 27 no Brasil. No mundo mais de 50 mil pessoas participaram dos testes.

Médico e professor Felipe Dal Pizzol é um dos integrantes da equipe de pesquisa da vacina – Foto: As Imprensa HSJoséMédico e professor Felipe Dal Pizzol é um dos integrantes da equipe de pesquisa da vacina – Foto: As Imprensa HSJosé

A vacina é de dose única com efeito a partir do vigésimo primeiro dia, em média. Além disso o armazenamento pode ser de até três meses em freezer comum. A Anvisa aprovou a vacina em cinco plantas de fabricação.

Os estudos seguem com acompanhamento dos 150 voluntários que atendem critérios de pré-seleção abrangendo diferentes perfis, como a idade e as comorbidades, entre outras. Inicialmente alguns voluntários receberam a amostra da vacina e outros placebo. Nem os pesquisadores sabiam quem tinha recebido um e outro. A revelação só ocorreu após data prevista. Os que receberam placebo receberam a vacina tão logo a Anvisa autorizou o uso de forma emergencial.

A Diretoria Colegiada da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) concedeu, na tarde desta quarta-feira (31), autorização de uso emergencial para a vacina contra Covid-19 desenvolvida pela Janssen e testada em Santa Catarina.

O diferencial desta vacina, produzida pelo braço farmacêutico da norte-americana Johnson & Johnson, é ser de dose única desenvolvida. Com informações do Portal R7.

Os cinco diretores entenderam, por unanimidade, que os benefícios do imunizante superam os riscos neste momento de pandemia. O órgão regulador recebeu o pedido da farmacêutica no dia 24 de março. O prazo para aprovação era de sete dias úteis.

“Foram analisados, em cinco dias úteis, em torno de 29 mil páginas, com dados e informações sobre os requisitos de qualidade, eficácia e segurança estabelecidos pela Anvisa”, lembrou a relatora do processo, diretora Meiruze Freitas.

O imunizante é um dos quatro listados para uso emergencial pela OMS (Organização Mundial da Saúde) e já foi liberado em outros 35 países.

Os estudos de fase 3 envolveram 43,7 mil participantes em diversos países, incluindo o Brasil. Além disso, a empresa norte-americana também tinha permissão para realizar estudos no Hospital São José, em Criciúma, no Sul de Santa Catarina.

Além de Santa Catarina, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso e Distrito Federal receberam anuência da agência para a realização da pesquisa da vacina Janssen.