Os fura-fila das vacinas nos mostram: nunca vai mudar!

Foi o que se viu, a gentalha metida avançando e tomando a vacina antes do povo, claro. Ou você acha que os de Brasília, “aqueles”, e suas famílias, já não foram vacinados?

Ouvi um comentário, faz pouco, e mais uma vez me convenci: nunca vai mudar, vai ser sempre assim. Quem já leu alguma coisa de História Universal sabe que desde os tempos primevos da humanidade os humanos se repetem nas suas estupidezes.

Os progressos são científicos, mecânicos, nunca na ordem moral. Moralmente ainda rastejamos sobre o planeta, qualquer outro animal é muitos mais “gente” que qualquer humano. Os bichos não mudam… De lado. Os bichos têm dignidade, são honestos…

Os fura-fila das vacinas nos mostram: nunca vai mudar! – Foto: Divulgação/NDOs fura-fila das vacinas nos mostram: nunca vai mudar! – Foto: Divulgação/ND

Não vamos longe, a história das vacinas a serem dadas de modo prioritário a certos grupos aqui no Brasil… O que aconteceu? A aplicação da velha filosofia mané: – “Quando a farinha é pouca, meu pirão primeiro”…

E foi o que se viu, a gentalha metida avançando e tomando a vacina antes do povo, claro, levando a turma caseira junto. Ou você acha que os de Brasília, “aqueles”, e suas famílias, já não foram vacinados? Não sejamos ingênuos.

Mas como disse, ouvi um comentário, interessante, feito pelo americano A. J. Hoge, quem quiser aperfeiçoar o inglês que o procure na internet. O americano disse que já estamos virando a página do primeiro mês do ano e que é bom não esquecer que muitos fizeram promessas na noite de 31 de dezembro para 1º de janeiro…

E ele cobrava das pessoas o cumprimento das promessas, será que já estão sendo cumpridas? Respondo: claro que não. Bom, antes de tudo, só os pífios fazem promessas futuras, regidos por datas e calendários; os bravos agem, não esperam pelas datas alheias ou do calendário. E é isso que tem que ficar claro.

– Ah, segunda eu começo, ah, mês que vem não deixo passar, ah, quando sair o aumento vou fazer, quando isso, quando aquilo…

E assim os embrulhões da vida vão levando, fazendo datas ou esperando por elas. As datas não existem, são simbólicas, são para uma orientação coletiva e social.

Nossas datas nós as fazemos e o melhor momento e lugar para fazê-las é no aqui e agora. O mais é frescura de atrapalhões da Serra Pelada…

Atrapalhões, eu disse. No tempo das cavernas os humanos “racionais” faziam das mesmas barbáries de hoje, nada mudou nem vai mudar. Somos “racionais”, racionais da parvoíce das datas…

Pergunta

Vesti imaginariamente o blusão do IBGE e saí para uma pesquisa. Quando quero uma pesquisa, faço-a. Perguntei para 11 pessoas. E a pergunta da pesquisa era muito simples, direta: – Escuta aqui, se tu tivesses a chance de furar a fila da vacina, furarias? Todos me disseram que sim e que levariam a família. Todos.

Surpresa? Nenhuma. Não vou dizer que você também furaria a fila, se pudesse, não tenho essa intimidade. Mas deixo a pergunta…

Falta dizer

A “opinião” é inteiramente minha: – só louco para tomar essa vacina que anda por aí e sair festejando, achando-se imune. Só louco. Vai demorar muito ainda para termos a “verdadeira” vacina, e até lá vão surgir inúmeras mutações do vírus chinês. Ou mudança total de estilo de vida ou … É depois não se queixar.