Outubro Rosa: Informação é a maior defesa contra o câncer de mama

Você já fez seus exames preventivos? É hora de prestar atenção a este tipo de câncer, o 1º mais frequente entre mulheres

Outubro, mês de prevenção contra o câncer de mama – Foto: DivulgaçãoOutubro, mês de prevenção contra o câncer de mama – Foto: Divulgação

O mês de outubro merece atenção especial para o câncer de mama. É um período em que se intensifica a conscientização sobre esta doença, que acomete 1 a cada 8 mulheres ao longo da vida.

Este é o 1º câncer mais frequente entre as mulheres e o 2º no mundo e o mais frequente entre mulheres com idade superior a 50 anos.

A importância da campanha Outubro Rosa se dá pelos números, que realmente exigem atenção, pois o câncer de mama é a causa da morte de mais de 12 mil mulheres no Brasil a cada ano. E se descoberto na fase inicial, sua chance de cura é de 95%.

Assim, a informação é crucial para a prevenção.

Engajada na campanha Outubro Rosa, a Noova Oncologia traz esclarecimentos sobre a doença.

Saiba sobre mitos e verdades sobre o câncer de mama porque, afinal, informações corretas também são uma arma contra a doença.

Mitos e verdades

1 – Só terá câncer de mama quem tem histórico familiar.

Mito. Quando a mãe, irmã ou filha (parentesco de 1º grau) forem diagnosticadas, principalmente antes dos 40 anos, você deve estar alerta. Caso contrário, o histórico familiar irá influenciar muito pouco.

2 – Amamentar protege contra o câncer de mama.

Verdade. Especialmente se a gestação for antes dos 30 anos. Também deve se considerar o período de aleitamento. Há evidências de que quanto mais prolongado, maior a proteção.

3 – Se eu fizer o autoexame todos os meses, não preciso fazer a mamografia.

Mito. Embora seja um aliado para despertar a consciência corporal, o autoexame, na maioria das vezes, não é capaz de flagrar um início de um tumor, na fase em que as lesões são muito pequenas.

Noova Oncologia também lembra a importância de conhecer os principais fatores de risco da doença. Eles podem ser divididos entre três aspectos diferentes, confira:

1 – Fatores ambientais e comportamentais:

  • Obesidade e sobrepeso após a menopausa;
  • Sedentarismo;
  • Exposição frequente a radiações ionizantes (Raios-X).

2 – Fatores da história reprodutiva e hormonal:

  • Menstruação precoce;
  • Não ter tido filhos;
  • Uso de anticoncepcionais e reposição hormonal;
  • Primeira gravidez após os 30.

3 – Fatores genéticos e hereditários:

  • História familiar de câncer de ovário;
  • Câncer de mama na família, principalmente no parentesco de primeiro grau;
  • Alteração genética, especialmente nos genes BRCA1 e BRCA2.

Se você possui algumas dessas características, não deixe de fazer um acompanhamento regular com seu ginecologista.

Noova Oncologia

  • Presidente Coutinho, 348 – Centro, Florianópolis
  • Telefones: (48) 3037-4300 – 3024-5300
  • WhatsApp: (48) 9 9631-5051
  • contato@noovaoncologia.com.br

Instagram

Facebook

Faça seu agendamento AQUI.

Acesse e receba notícias da Grande Florianópolis pelo WhatsApp do ND+

Entre no grupo

+

Saúde Mais