Moacir Pereira

Notícias, comentários e análises sobre política, economia, arte e cultura de Santa Catarina com o melhor comentarista politico de Santa Catarina. Fundador do Curso de Jornalismo da UFSC. Integrante da Academia Catarinense de Letras e do Instituto Histórico e Geográfico de Santa Catarina, é autor de 53 livros publicados.


Pandemia: os excessos do decreto de lockdown

CDL emite nota com reparos e críticas as origens do decreto

O objetivo do Decreto 1.172, assinado pelo governador Carlos Moisés da Silva, para tentar conter o explosivo avanço do Covid-19 em Santa Catarina, está sendo considerado oportuno, pois veta  aglomerações.

Soa como inteligente o equilíbrio da medida de restringir as rigorosas restrições apenas nos sábados e domingos, justamente quando teriam se multiplicado de forma assustadora a infeção pelo coranavirus.

Algumas reações sobre o conteúdo do decreto governamental, contudo, vieram logo após a sua publicação no Diário Oficial do Estado.

A Câmara de Dirigentes Lojistas de Florianópolis, por exemplo, faz uma análise crítica pertinente, quando enfatiza que os comerciantes adotaram rigorosos protocolos de proteção da saúde e que não há provas de que este segmento econômico seja o responsável pela propagação do vírus.

Muito ao contrário,  acusa as festas, baladas e aglomerações pelo cenário doloroso em que vive Santa Catarina.

Tem razão a CDL. Desde janeiro que circulam nas redes sociais e nas emissoras de televisão vídeos escandalosos sobre gigantescas festas na Praia do Rosa, em Imbituba, no sul, e na Praia Brava, em Itajaí, no litoral norte, entre outras.  E nenhuma medida rigorosa, com legislação punitiva foi aplicada contra estes abusos até criminosos.

Outro ponto: manter as famílias totalmente trancadas em casas e apartamentos, sem direito sequer a caminhadas ou circulação em parques – com todos os rigorosos protocolos – não parece medida eficaz.  Aprisionar crianças e adolescentes, sem direito sequer de circularam em áreas livres e verdes,  sugere um terrível paradoxo.   Afinal, todo mundo está cansado de isolamento e pandemia. Pode até ter efeito bumerangue.

De qualquer modo, o momento é gravíssimo e está a exigir sacrifício de todos para tentar reduzir a curva de hospitalizados.

*

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.