Pessoas em situação de rua recebem máscaras e têm biblioteca à disposição em Florianópolis

Prefeitura distribuiu 4,5 mil máscaras em 2021 e disponibiliza espaço com livros aos acolhidos na Passarela da Cidadania

A Prefeitura de Florianópolis distribuiu 4.500 máscaras descartáveis, apenas neste ano, para pessoas em situação de rua acolhidas na Passarela da Cidadania, no Centro. Por meio da Secretaria de Assistência Social, o Município também realizou testagem em massa para Covid-19 da população que frequenta o projeto, com orientações para evitar a propagação da doença. Até o momento, nenhum acolhido no local foi infectado pelo coronavírus.

Foram distribuídas 4.500 máscaras descartáveis, apenas neste ano, para pessoas em situação de rua acolhidas na Passarela da Cidadania – Foto:PMF/Divulgação/NDForam distribuídas 4.500 máscaras descartáveis, apenas neste ano, para pessoas em situação de rua acolhidas na Passarela da Cidadania – Foto:PMF/Divulgação/ND

No espaço há protocolo de distanciamento e prevenção. “Constantemente nossos profissionais utilizam materiais de EPIs. Os acolhidos também são orientados a colocarem máscara”, detalha Marcos Ramos, diretor-geral da ONG Nurrevi (Núcleo de Recuperação e Reabilitação de Vidas). A organização atua em 12 projetos sociais, entre eles a Passarela.

No refeitório com capacidade para 60 pessoas, há revezamento de grupos de 30 acolhidos para realizar as refeições. “O trabalho é muito rigoroso, por isso não tivemos casos positivos. Destacamos o cuidado dos profissionais no sentido de trazer dignidade a essas pessoas. Nós levantamos a bandeira da dignidade, de que eles merecem algo melhor”, destaca Ramos.

Livros despertam interesse dos acolhidos

Além do trabalho de prevenção contra a Covid-19, o serviço de abrigo provisório conta com projeto de incentivo à leitura e rodas de conversa, respeitando os protocolos de distanciamento social. Uma pequena biblioteca foi estruturada há um ano dentro da passarela. Os livros oferecidos chegam por meio de doações.

Uma pequena biblioteca foi estruturada há um ano dentro da passarela – Foto: PMF/Divulgação/NDUma pequena biblioteca foi estruturada há um ano dentro da passarela – Foto: PMF/Divulgação/ND

Entre as pessoas acolhidas na Passarela está Michele dos Santos, de 44 anos. Em situação de rua desde março deste ano, ela gosta das leituras sobre Direito e espiritualidade. “Eu gosto muito de ler livros espíritas, livros sobre leis, eu gosto de tudo. É muito bom até para passar o tempo aqui”, comenta.

Segundo o diretor-geral da Nurrevi, os temos dos livros disponibilizados são variados, de poesia a História, passando por filosofia e religião. Os que mais despertam o interesse dos acolhidos são os de espiritualidade e autoajuda.

“São pessoas que estão machucadas, feridas. Elas se identificam com temas religiosos, que trazem paz para a alma delas”, diz Ramos.

Para quem tiver interesse em doar livros, basta ir ao local, no acesso pela parte inferior da Passarela do Samba Nego Quirido.

Espaço recebe 200 pessoas todos os dias

Durante a pandemia, a Passarela da Cidadania tem recebido cerca de 200 pessoas todos os dias. O espaço oferece quatro refeições diárias, pernoite, banheiros, espaço para lavagem de roupas, guarda-volumes e kits de higiene pessoal. Além da pequena biblioteca, no local ainda há atendimento psicossocial, oficinas e doação de roupas.

Os trabalhos desenvolvidos na Passarela acontecem em parceria da Secretaria de Assistência Social com a ONG Nurrevi, além de voluntários e coletivos da sociedade civil denominados “Rede com a Rua”, com doações da Rede Solidária Somar Floripa.

Conforme determina a Lei Municipal nº 10.199, de 27 de março de 2017, a Prefeitura Municipal de Florianópolis informa que a produção deste conteúdo não teve custo, e sua veiculação custou R$2.000,00 reais neste portal.

+

Prefeitura de Florianópolis