Pfizer anuncia 100% de eficácia da vacina para adolescentes de 12 a 15 anos

Estudo envolveu 2.260 pessoas dessa faixa etária; ninguém do grupo imunizado, que contou com 1.131 adolescentes, contraiu a doença

A farmacêutica Pfizer anunciou, nesta quarta-feira (31), que a vacina contra a Covid-19 desenvolvida pela BioNTech é 100% eficaz para adolescentes de 12 a 15 anos.

Nas próximas semanas, os laboratórios vão solicitar à FDA (Agência de Alimentos e Drogas), dos Estados Unidos e à Agência Europeia de Medicamentos (EMA, na sigla em inglês) autorização para uso do imunizante na faixa etária agora testada.

Laboratórios vão solicitar à FDA (Agência de Alimentos e Drogas) autorização para o uso do imunizante na faixa etária testada – Foto: Divulgação/BioNTechLaboratórios vão solicitar à FDA (Agência de Alimentos e Drogas) autorização para o uso do imunizante na faixa etária testada – Foto: Divulgação/BioNTech

“Compartilhamos a urgência de expandir a autorização de nossa vacina para uso em populações mais jovens e somos encorajados pelos dados de ensaios clínicos de adolescentes com idades entre 12 e 15 anos”, diz Albert Bourla, presidente e CEO da Pfizer, em nota. “Planejamos enviar esses dados ao FDA como uma emenda proposta à nossa autorização de uso emergencial nas próximas semanas e a outros reguladores em todo o mundo, com a esperança de começar a vacinar essa faixa etária antes do início do próximo ano letivo”, acrescenta.

De acordo com o comunicado disponibilizado à imprensa, o ensaio com adolescentes de 12 a 15 anos envolveu 2.260 pessoas. Delas, 1.129 foram do chamado grupo de placebo, com 18 confirmações de Covid-19. No grupo vacinado, com 1,131 adolescentes, ninguém contraiu a doença. Os efeitos colaterais relatados foram “geralmente consistentes” com aqueles observados em participantes de 16 a 25 anos de idade.

A vacina contra o novo coronavírus da Pfizer em parceria com a BionNTech é a única a ter autorização para uso definitivo no Brasil, mas, até o momento nenhuma dose do imunizante foi administrada no País. Nos Estados Unidos, o laboratório tem autorização apenas de uso emergencial.

+

Saúde