Pico de coronavírus em Joinville deve acontecer a partir de 9 de abril, diz secretário

Em transmissão ao vivo, Jean Rodrigues, secretário da Saúde, tira dúvidas da população e projeta cenário na cidade

As medidas de prevenção e a manutenção do isolamento como forma de achatar a curva de casos suspeitos e confirmados de coronavírus continuam em Joinville, Norte do Estado, mas de acordo com Jean Rodrigues, secretário da Saúde, a maior cidade de Santa Catarina ainda irá passar pelo pico da doença.

Joinville registrou a primeira morte pela doença na segunda-feira (30) – Foto: Reprodução/Freepik

Durante uma transmissão ao vivo feita pelas redes sociais para tirar dúvidas da população, o secretário contou que a Secretaria tem trabalhado em parceira com a Udesc (Universidade do Estado de Santa Catarina), desenvolvendo um método de cálculo com algoritmo, semelhante ao utilizado pela Johns Hopkins University.

Utilizando esse método, a projeção é de que o pico de coronavírus em Joinville aconteça entre os dias 9 e 21 de abril. Apesar disso, o secretário afirma que o acompanhamento tem sido diário para tornar a estimativa mais fidedigna.

Jean afirmou, ainda, que as estruturas estão sendo montadas e planejadas para que o município consiga atender à demanda no pico de contaminação. Atualmente, ressaltou o Rodrigues, Joinville tem 100 leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva), mas o número deve dobrar até o dia 20 de abril, chegando a 200 leitos específicos com projeção de ampliação, se necessário.

Estamos nos preparando para ter até 150 leitos em Joinville exclusivos para atendimento da Covid-19.

Hoje, Joinville tem, em média, 210 notificações de coronavírus e, com as projeções e as mudanças de fluxo e direcionamento de recursos para ampliação da estrutura de saúde, salientou o secretário, a estimativa é de que o sistema consiga atender de forma adequada os pacientes durante o período mais crítico.

“Quando eu tiver 2 mil notificações, a previsão que fazermos é de que 40 pessoas estejam internadas na UTI. Projetamos que a nossa rede estará adequada e da maneira correta para atender esses pacientes, desde que não seja sobrecarregada com situações desnecessárias”, salientou.

R$ 9,4 milhões para combate ao coronavírus

Até esta terça-feira, Joinville já recebeu pouco mais de R$ 9,4 milhões de recursos de emendas, vindas do Estado, do Governo Federal e da Câmara de Vereadores. Todo o dinheiro será direcionado ao combate ao coronavírus, seja com aquisição de EPIs (Equipamentos de Proteção Individual) ou no fortalecimento da estrutura de hospitais, como o São José, que será referência na região Norte. “As nossas rotinas mudaram, as nossas prioridades mudaram”, destacou.

Hospital São José será referência no atendimento ao coronavírus na região Norte – Foto: Divulgação

O secretário ressaltou, ainda, que todos os casos notificados e que estão em acompanhamento para a liberação do resultado de exames estão em isolamento domiciliar e sendo monitorados pela Vigilância Epidemiológica. “Além disso, estudamos e vamos implantar o monitoramento através de aplicativo”, disse.

Outra iniciativa que começa a ser implantada nesta terça-feira é a inclusão do número de pacientes que estão tendo alta após tratamento do coronavírus. O balanço divulgado diariamente no fim do dia deve ter “pacientes com alta melhorados”, que são aqueles sem sintomas.

“Não podemos considerar como curados porque há estudos que mostram casos de retransmissão, mas são pacientes já sem sintomas, por isso vamos considerar como alta”, explicou.

O secretário reforçou que todas as medidas precisam ser adotadas e seguidas para amenizar os impactos da pandemia na cidade. “A vida deve ser preservada”, frisou.

Medidas já adotadas por Joinville para o combate ao coronavírus

  • Ligue Saúde e Web Saúde: o município disponibilizou uma central para que a população possa tirar dúvidas e ser direcionada corretamente. Em caso de sintomas leves e outras dúvidas sobre o fluxo de atendimento, os joinvilenses são orientados a ligar ou enviar uma mensagem de WhatsApp para o número (47) 3481-5165.
  • Redistribuição das Unidades Básicas de Saúde: o município perdeu 30% da capacidade laboral de saúde. A Secretaria da Saúde reorganizou o sistema em duas modalidades: unidades sentinelas e unidades de referência. São 15 as unidades sentinelas, que fazem tratamento específico de pacientes com sintomas de síndromes gripais. As demais unidades, as de referência, fazem o atendimento de todas as outras situações de saúde dos usuários.
  • Direcionamento de pacientes: os pacientes são orientados a permanecer em casa em casos de sintomas leves e, em casos mais graves, entram no fluxo criado pela secretaria para que os hospitais não sejam sobrecarregados.
  • Centro de Triagem: o Centro de Triagem instalado na Associação Atlética Tupy começa a funcionar nesta quarta-feira (1°), das 7h às 19h. O local é específico para o atendimento inicial de pacientes com sintomas da Covid-19.

Leia mais:

+

Saúde