Prefeitura de Chapecó deve comprar 20 mil doses da vacina russa Sputnik

Prefeito também anunciou a compra de três mil testes da Covid-19

A Prefeitura de Chapecó, no Oeste de Santa Catarina, oficializou na segunda-feira (1 º) o interesse em 20 mil doses da vacina russa Sputnik, junto ao laboratório responsável pela distribuição no Brasil. O prefeito de Chapecó, João Rodrigues (PSD), disse que tão logo seja liberada a vacina, Chapecó fará a aquisição para ampliar a imunização no município.

Prefeito e secretários se reuniram na tarde de segunda-feira (1º) para oficializar o interesse pelas doses da vacina russa – Foto: Leandro Schmidt/Divulgação/NDPrefeito e secretários se reuniram na tarde de segunda-feira (1º) para oficializar o interesse pelas doses da vacina russa – Foto: Leandro Schmidt/Divulgação/ND

“Não vamos ficar só esperando, estamos buscando alternativas para ampliar a vacinação e imunizar o quanto antes pessoas com comorbidades, professores e outros profissionais. A vacina que tem vindo é importante, mas é pouca. Esperamos que esse volume seja ampliado com o aumento da capacidade de produção dos laboratórios e também a liberação das demais vacinas”, disse Rodrigues.

O prefeito também anunciou a compra de três mil testes da Covid-19. De acordo com o secretário-adjunto da Saúde, Jader Danielli, os testes são de coleta nasal, com antígeno, que permitem uma resposta mais rápida, em 24h, permitindo o início do tratamento precoce da doença. A previsão de chegada é para a próxima semana.

Eficácia

A vacina contra Covid-19 desenvolvida pela Universidade de Oxford e pela AstraZeneca tem 76% de eficácia contra infecções sintomáticas durante três meses após uma única dose, e a eficácia aumenta quando a segunda dose é dada mais tarde, mostrou um estudo divulgado nesta terça-feira.

“A eficácia da vacina após uma única dose padrão da vacina entre o dia 22 e o 90º dia pós-vacinação foi de 76%, e análises modeladas indicaram que a proteção não diminuiu durante esse período inicial de três meses”, disseram acadêmicos de Oxford.

De acordo com o estudo, a eficácia da vacina foi de 82,4% com 12 semanas, ou mais, até a segunda dose – ela foi de 54,9% quando a dose de reforço foi administrada menos de seis semanas após a primeira dose.

Imunizados

O secretário Balsan informou que já tinham sido vacinadas 2.948 pessoas até esta segunda-feira. Destas, 2.486 foram de profissionais da saúde, 435 indígenas e 27 idosos em instituição de longa permanência. No total foram recebidas 5.237 doses, até o momento.

O gerente da Vigilância, Rodrigo Momoli, disse que nesta semana deve chegar um novo lote da Oxford-AstraZeneca e, na semana que vem, a segunda dose da CoronaVac, para quem já foi vacinado.

O defensor público Gabriel Santos Pereira Paquielli disse que instaurou um procedimento para acompanhar a vacinação e garantir que seja respeitada a lista de prioridades definida pelo Ministério da Saúde.

A ordem de vacinação tem sido bastante questionada, mas cada grupo deve esperar sua vez. Neste primeiro grupo prioritário, de profissionais da saúde, idosos em asilos, indígenas e idosos com mais de 75 anos são 16 mil pessoas que devem ser vacinadas.

Na segunda fase de vacinação estão previstas as pessoas entre 60 e 74 anos, que somam 23 mil em Chapecó.

A terceira etapa prevê cerca de 30 mil pessoas que apresentam alguma comorbidade, como diabetes, hipertensão, doença renal, cardiovascular, entre outras.

A quarta fase engloba professores e profissionais de forças de segurança e salvamento, além de funcionários do sistema prisional.

Acesse e receba notícias de Chapecó e região pelo WhatsApp do ND+

Entre no grupo
+

Saúde