Prefeitura de São José busca parceria com o Estado para abertura da policlínica de Forquilhinhas

Apesar de a prefeitura ter previsto a conclusão para o fim do ano passado, a unidade só deve ficar pronta para atendimento em junho

Os moradores de São José terão que esperar um pouco mais para usar os serviços da policlínica de São José, que começou a ser construída em 2011. A previsão da prefeitura de São José, anunciada em setembro do ano passado, sobre a entrega da policlínica de Forquilhinhas até o fim de 2015 foi adiada. A secretária de saúde do município prefere não estipular uma data específica para a entrega da obra, mas garante que unidade estará funcionando até o fim do prazo para conclusão da obra que é até o fim de junho deste ano.

Nesta quinta (21), a prefeita Adeliana Dal Pont e a secretária de saúde de São José Suzana Bousfield se reúnem com o secretário de saúde do Estado, João Paulo Kleinubing, para falar sobre a possível parceria entre Estado e município para o funcionamento da policlínica. O pedido de apoio é principalmente para compra de equipamentos e custeio. Os horários de funcionamento da nova unidade ainda não foram definidos pela equipe técnica, segundo Suzana.

A obra está na fase de acabamento e tem cerca de 70% do trabalho concluído. O custo da obra é de R$7,1 milhões e o município já pagou aproximadamente R$6 milhões. A secretária não apontou especificamente os motivos pelos quais a obra não foi concluída em 2015 conforme a expectativa que a própria prefeitura havia anunciado, ela disse que são “questões da obra mesmo” e ressaltou que a empresa contratada está realizando o trabalho dentro do prazo. “Ela (empresa) tem período para entregar, tem até metade do ano, junho de 2016. A secretaria não esta devendo nenhuma nota para a empresa, procura priorizar. São questões de obra mesmo”, justificou.

Suzana afirma ainda que a contratação da equipe já está em andamento. A prefeitura realizou concurso em dezembro, a classificação já foi publicada e até o fim do mês o concurso deve ser homologado. Os aprovados atuarão na policlínica e em outras unidades de saúde do município. A compra dos materiais também está em processo licitatório, segundo ela. Além do serviço de pronto-atendimento, a previsão é que a policlínica tenha clínica de imagens para exames, clínica da mulher e da criança com diversas especialidades médicas e um centro de especialidades odontológicas.

Entenda o caso

A policlínica começou a ser construída em março de 2011 e de acordo com o projeto original deveria ficar pronta em outubro de 2012, ao custo de R$5,8 milhões, com recursos do governo federal e contrapartida do município. Mas por uma série de problemas de prestação de contas e incompatibilidade do projeto arquitetônico e estrutural na gestão de Djalma Berger, a obra parou em 2012 e só foi retomada em 2013.

A UPA (Unidade de Pronto Atendimento) que funcionaria junto à policlínica de São José foi desabilitada pelo Ministério da Saúde por não ter espaço suficiente para implantação da unidade no mesmo terreno. O projeto foi feito e encaminhado sem ter área suficiente para implantar.

Havia um convênio com o governo federal que disponibilizaria R$2 milhões para construção da Upa e R$ 1,5 milhões para a policlínica. Por causa dos problemas, o convênio foi desfeito e o valor que já havia sido utilizado (R$127,3 mil em 2011 e R$185,7 mil em 2012) foi devolvido em 2014 e a prefeitura precisou retomar a obra com recursos próprios.

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Saúde

Loading...