Prefeitura vai licitar hospital de campanha para pacientes com Covid-19 em Blumenau

Segundo secretário de Defesa Civil, Carlos Olímpio Menestrina, medida é preventiva e não significa que estrutura chegará a ser montada

A prefeitura de Blumenau pretende lançar até o fim da próxima semana a licitação de um hospital de campanha. Segundo o secretário de Defesa do Civil, Carlos Olímpio Menestrina, isso não significa que a estrutura será de fato montada. A ideia é deixar a parte burocrática pronta e, em eventual necessidade, só precisar acionar a empresa vencedora para assinatura e execução do contrato.

Nesta terça-feira (12), foi publicada no Diário Oficial dos Municípios a Portaria 24.090/2020, datada de 8 de maio. Nela são nomeados cinco servidores para integrar o “Grupo de Trabalho Responsável pelo Termo de Referência dos Hospitais de Campanha para Atender ao Alojamento de Enfrentamento do Covid-19”.

Portaria foi publicada nesta terça-feira (12) – Foto: Diário Oficial dos Municípios/ReproduçãoPortaria foi publicada nesta terça-feira (12) – Foto: Diário Oficial dos Municípios/Reprodução

De acordo com Menestrina, o projeto prevê 10 leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) e 50 de enfermaria para atendimento de pacientes diagnosticados com o novo coronavírus. Entretanto, existe a possibilidade de chegar a 200 leitos no total, se for preciso.

O custo exato só será conhecido após a licitação, mas um levantamento prévio feito pela prefeitura aponta algo aproximado em R$ 5 milhões. Esse valor inclui desde a montagem da estrutura, no setor 1 do Parque Vila Germânica, até a contratação de pessoal, insumos e equipamentos, como respiradores.

“O plano de contingência de Blumenau (para enfrentamento da Covid-19) prevê vários cenários e tenta se antecipar para que a gente possa atender a comunidade com bastante tranquilidade. O hospital de campanha é último cenário, se houver ocupação total da rede na cidade. É uma medida preventiva”, destaca o secretário de Defesa Civil.

Leia também:

Ampliação da capacidade atual

Menestrina explica que para o cenário atual da pandemia na cidade – que soma 385 casos da doença nesta terça-feira (12) – o número de leitos hospitalares é suficiente e vem sendo ampliado gradativamente. Em março, por exemplo, Blumenau contava com 65 leitos de UTI adulto, mas agora já chega a 91 e outros 10 aguardam habilitação do Ministério da Saúde.

Porém, como são leitos regulados pelo governo de Santa Catarina, o secretário de Defesa Civil defende que é preciso fortalecer a rede hospitalar de Blumenau. “Se houver um colapso no Sul do Estado, os pacientes de lá vêm para cá”, exemplifica.

Também nesta terça-feira (12), a prefeitura teve uma reunião com o novo secretário de Estado da Saúde, André Motta, e se disponibilizou a abrir outros 20 leitos de UTI na cidade. O município entraria com o dinheiro necessário para compra dos equipamentos e o Ministério da Saúde precisaria fazer o restante do custeio.

Motta teria aprovado a ideia. Agora, segundo Menestrina, é preciso fazer a articulação com os hospitais. Se a proposta se concretizar, serão 10 leitos a mais de UTI no Santo Antônio e outros 10 no Santa Isabel. Como os equipamentos seriam comprados pelo município, ficariam após a pandemia com um “legado”, nas palavras do secretário.

Leia também:

0 Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

+ Saúde