Primeiro catarinense transferido para o ES tem melhora na saúde

Daniel Pegoraro, de 34 anos, está na UTI do Hospital Estadual Dr. Jayme Santos Neves, no município da Serra, na região metropolitana de Vitória

Em meio ao colapso da saúde em decorrência do agravamento da pandemia, boas notícias servem de motivação e esperança. O primeiro paciente catarinense com Covid-19 transferido de Chapecó, no Oeste de Santa Catarina, para o Espírito Santo, Daniel Pegoraro, de 34 anos, vem apresentando melhoras no quadro de saúde. A informação é da esposa de Daniel, Eliane Schmitz Pegoraro, de 30 anos.

Daniel e a filha Danieli curtindo uma piscinaDaniel e a filha Danieli, de 5 anos – Foto: Arquivo pessoal/Reprodução/ND

Daniel está na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) do Hospital Estadual Dr. Jayme Santos Neves, no município da Serra, na região metropolitana de Vitória (ES).

“Ele não tem mais febre, a pressão está boa e o sistema renal funcionando bem. Graças a Deus, desde que chegou lá, na quarta-feira, as notícias são de evolução no quadro clínico”, disse a esposa.

Segundo Eliane, os médicos informaram que apesar do estado de saúde de Daniel ainda ser grave, ele vem reagindo bem ao tratamento. Ela afirmou que é preciso ter calma, mas cada evolução é motivo de comemoração para a família.

“O médico falou que temos que ter esperança porque meu marido está reagindo bem. Precisamos esperar o antibiótico agir e combater a pneumonia bacteriana. Estamos com esperança na melhora gradativa dele até que ele possa sair de lá e voltar para casa”, acrescentou Eliane.

Daniel com a esposa Eliane e a filha Danieli em um passei de carroEliane, Danieli e Daniel em um dos momentos em família – Foto: Arquivo pessoal/Reprodução/ND

Gratidão e esperança

Para a família os sentimentos são de gratidão e esperança. “Somos gratos a Deus por tudo que está acontecendo e por ele ter sido o primeiro a ser transferido. Sabemos que lá ele está bem cuidado. Estamos confiantes na recuperação dele”, afirmou.

A filha do casal, Danieli, de 5 anos, também está em constante oração e aguarda ansiosa a volta do pai para casa. “Ela pede bastante dele, mas explicamos que ele está no médico. Ela é bastante apegada ao meu esposo. Reza do jeitinho dela para que nossa Senhora Aparecida cure o pai e também a avó e que logo eles estejam em casa”.

Mãe de Daniel ainda espera um leito

Em Chapecó, Daniel estava internado em um leito improvisado na UPA (Unidade de Pronto Atendimento). Junto com ele, ao seu lado, estava a mãe, Margarida Zorzi Pegoraro, de 70 anos, que também foi diagnosticada com coronavírus.

Antes de ser intubado, ele acompanhou o tratamento de quem lhe deu a vida. Ela ainda espera por um leito de UTI, mas está intubada e também tem respondido bem ao tratamento.

Daniel ao lado da mãe Margarida que também está internada na UPA a espera de um leito de UTI para Covid-19A mãe de Daniel tem 70 anos e também está internada, mas ainda espera por um leito de UTI – Foto: Arquivo pessoal/Reprodução/ND

“Ela está reagindo bem. A pressão está boa e a saturação está melhorando. Estamos confiantes que logo ela ficará bem. Temos que ter muita fé, força e confiança em Deus. Queremos que eles voltem para casa recuperados”, disse Eliane.

O início dos sintomas

Os sintomas da doença começaram em Daniel no sábado, 20 de fevereiro. Segundo a esposa, ele sentia muitas dores nas costas e tosse, por isso procurou o Ambulatório de Campanha instalado ao lado da Arena Condá, no Centro. O diagnóstico do exame foi positivo e a evolução da doença foi rápida.

“Na segunda ele começou a se sentir mal. A situação se agravou na terça e na quarta à noite ele foi para a UPA, porque estava com falta de ar e tosse. Na quinta ele foi colocado no oxigênio e na sexta à noite ele foi intubado”, lembra Eliane.

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Chapecó e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.

+

Saúde