Fabio Gadotti

Comportamento, políticas públicas, tendências e inovação. Uma coluna sobre fatos e personagens de Florianópolis e região.


Procurador quer fiscalização de termômetros infravermelhos de Florianópolis

Objetivo é conferir eficiência dos equipamentos usados para aferir temperatura em ambientes públicos e privados, como supermercados e shoppings

O Ministério Público Federal em Santa Catarina recomendou que a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) fiscalize os termômetros digitais infravermelhos que estão sendo utilizados nas entradas de ambientes públicos e privados de Florianópolis, como supermercados, shoppings e igrejas, para enfrentamento da pandemia da Covid-19.

Aferição de temperatura vem sendo feito na entrada dos estabelecimentos – Foto: Leonardo Sousa/PMFAferição de temperatura vem sendo feito na entrada dos estabelecimentos – Foto: Leonardo Sousa/PMF

O procurador da República Carlos Augusto de Amorim Dutra também recomendou ao Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia) uma fiscalização junto às empresas que produzem ou importam esses equipamentos. O prazo para cumprimento das recomendações é de 30 dias.

A suspeita é que não há controle da eficiência desses termômetros.

De acordo com o MPF, tanto a Anvisa quanto o Inmetro devem autorizar apenas a comercialização e utilização dos equipamentos que apresentem condições técnicas de eficiência para aferição correta e segura da temperatura, retirando do mercado aqueles que não apresentarem essas condições.