VÍDEO: Professor de Medicina é aplaudido por alunos ao ter alta após Covid em SC: “força”

Médico pneumologista formado pela UFSC, Alberto Chterpensque, de 72 anos, dá aulas há 47 anos e foi o paciente número 555 com a doença a deixar o Hospital Baía Sul, em Florianópolis

Após seis dias internado por complicações da Covid-19, o médico Alberto Chterpensque, de 72 anos, foi homenageado ao receber alta nesta terça-feira (6). Ele é pneumologista, formado pela UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina) em 1973, e professor de medicina há 47 anos.

Alberto foi o paciente número 555 a ter alta após internação por Covid-19 no Hospital Baía Sul e recebeu uma homenagem dos funcionários e de alunos do curso de medicina da Unisul, onde atualmente leciona pneumologia.

Professor de medicina foi aplaudido ao receber alta após internação por Covid-19 – Foto: Divulgação/Hospital Baía SulProfessor de medicina foi aplaudido ao receber alta após internação por Covid-19 – Foto: Divulgação/Hospital Baía Sul

Os estudantes, que fazem estágio no hospital, participaram de forma especial da alta. Aproveitaram o momento para agradecer ao professor e comemorar a sua recuperação.

“A homenagem dos alunos e dos funcionários foi muito importante. Foi muito bonito mesmo, isso me encheu de orgulho e de alegria, e me dá forças para a recuperação”, disse Alberto.

Confira o vídeo:

Recuperação continua em casa

A filha de Chterpensque, Vera, lembrou que o pai estava “muito mal” quando foi levado ao hospital no dia 21 de março. “Logo em seguida já conseguiram um quarto para ele, e já veio uma equipe bem grande para atendê-lo, o que me tranquilizou. Depois, foi só para frente, melhora, tratamento, atenção e empatia”, recordou.

O médico já está em casa com a filha após receber alta. “Fiquei muito emocionado com a empatia, o carinho, o profissionalismo, a dedicação, o amor de todos os colegas. Fui tratado de uma maneira ímpar, extraordinária”, concluiu Alberto.

Ele contou que, por ser pneumologista, quando recebeu o diagnóstico da Covid-19, soube avaliar todas as possibilidades e as eventuais complicações da doença e ficou preocupado. No entanto, relatou se sentir mais tranquilo quando começou o tratamento.

“Rapidamente comecei a ter os sinais de melhora, o que me deixou muito feliz, e eu jamais vou esquecer esses momentos pelo resto da minha vida. O agradecimento é infinito”.

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.

+

Saúde