Programa Feliz Idade dá suporte aos idosos de Florianópolis durante a pandemia

Por meio de vídeos, participantes da iniciativa trocam experiências, se exercitam e compartilham produção em casa em meio à quarentena

Sivonei Godinho encontrou no incentivo do programa a motivação para produzir artesanato em casa – Divulgação/NDSivonei Godinho encontrou no incentivo do programa a motivação para produzir artesanato em casa – Divulgação/ND

O isolamento social, os impactos e desafios impostos pela pandemia do coronavírus transformaram as relações pessoais em todo o mundo. Os hábitos, afazeres e rotina diária tiveram que mudar radicalmente e pessoas das mais diferentes faixas etárias tiveram que procurar novas formas de interagir e conviver. Na Capital, os 135 grupos que fazem parte do programa Floripa Feliz Idade, que representam cerca de 4.000 idosos do município, ligado à Secretaria de Assistência Social da Prefeitura de Florianópolis, têm buscado outras maneiras de se reunir em meio à pandemia.

Para manter as atividades e respeitar o distanciamento social, já que os idosos estão entre os grupos que têm mais risco de complicações pela Covid-19, os participantes da iniciativa têm encaminhado vídeos, mensagens e feito videochamadas para compartilhar os momentos, seus exercícios e produções com seus colegas.

Entre os grupos da iniciativa, 18 se reúnem para fazer exclusivamente atividades físicas, os demais são grupos de convivência, que se encontravam semanalmente, antes da pandemia para bordar, fazer atividades, tomar café, ler, programar viagens jogar bingo, entre outras. “São grupos muito ativos, com pessoas idosas que têm muita energia, muito disponíveis e sempre com muita vontade de fazer algo novo”, explica Roselene Antunes, coordenadora do programa.

Suporte no dia a dia em casa

Sivonei Marli Vasques Godinho, 73 anos, faz parte grupo Esperança, de Ingleses, no Norte da Ilha, um dos que participam do Floripa Feliz Idade. Ela completou, nesta quinta-feira (30), 135 dias em quarentena, “sem sair do portão de casa”.

Ela ressalta que o suporte recebido da Secretaria Municipal de Assistência Social fez toda a diferença para encarar o dia a dia durante a pandemia. “A Gerência do Idoso, da prefeitura, tem nos dado muita atenção, os profissionais estão sempre preocupados com a nossa saúde, nos orientando sobre o que devemos fazer. Todas as semanas mandam recadinho nos incentivando sobre trabalhos para desenvolvermos. Não estou acostumada a ficar em casa e pensei que ia ficar até doente nessa quarentena, mas com esse incentivo, pesquisei na internet para trabalhar com artesanato, fiz coisas lindas, maravilhosas e foi isso me deu a maior sustentação. A melhor coisa que existe é esse programa que nos fornecem”, conta.

“Neste momento, durante a pandemia, a continuidade dos serviços sociais é de extrema importância. Continuamos nosso atendimento, o que é possível, de forma remota. Já entregamos mais de 30 mil cestas básicas e acompanhamos também a situação das famílias e da população em situação de vulnerabilidade social. Continuamos a dar atenção também às crianças, idosos e todos os moradores da Capital que participam dos nossos programas”, destaca o prefeito de Florianópolis.

A coordenadora do programa, Roselene, enfatiza que o uso do Whatsapp é muito importante para a manutenção do vínculo entre os participantes. “É uma forma de mostrarmos como está o cotidiano de ouras pessoas idosas. Eles mesmos dizem para os outros ficarem em casa, há esse reforço do entendimento sobre importância de manter o isolamento social, apesar do sacrifício de estar longe dos familiares, dos amigos e dos colegas de grupo. Nos vídeos, eles passam uma energia super positiva, mesmo à distância. A gente vê a vontade que eles têm de fazer, de produzir. A pessoa idosa tem muito a contribuir. Percebemos, com esse trabalho, que a vontade de viver deles é grande, de fazer coisas bonitas, de poder compartilhar, ensinar e aprender. Os idosos são também muito abertos a esse uso da tecnologia, estão super atualizados e dando um banho” avalia Roselene.

Produção do time de vôlei de um dos grupos do programa durante a quarentena – Divulgação/NDProdução do time de vôlei de um dos grupos do programa durante a quarentena – Divulgação/ND

Qualidade de vida

As atividades do programa Floripa Feliz Idade têm por objetivo garantir os momentos de socialização e qualidade de vida entre os participantes, auxiliando na prevenção de doenças psicossomáticas.

Outro vídeo compartilhado durante a pandemia foi o da voluntária da rede solidária Somar Floripa, Anna Karina, uma personal organizer que deu dicas de como organizar a casa.

Os trabalhos de artesanato são compartilhados em grupos pelo aplicativo WhatsApp para incentivo das atividades. Nos espaços virtuais são discutidos quais pontos foram utilizados, os materiais, e quais trabalhos manuais foram feitos. Além destas discussões também são passadas orientações de saúde quanto aos cuidados com o novo coronavírus, uso de máscaras, vacinação de gripe, entre outras orientações de Saúde.

Os idosos interessados em participar de algum dos grupos, precisam entrar em contato com Programa pelo e-mail Felizidade.semas@pmf.sc.gov.br ou pelo fone (48) 3213-5599.

Conforme determina a Lei Municipal nº 10.199, de 27 de março de 2017, a Prefeitura Municipal de Florianópolis informa que a produção deste conteúdo não teve custo, e sua veiculação custou R$2.000,00 reais neste portal.

Acesse e receba notícias da Grande Florianópolis pelo WhatsApp do ND+

Entre no grupo

+

Prefeitura de Florianópolis