Viajantes não vacinados terão de cumprir quarentena ao entrar no Brasil

Pressionado pelo STF, ministro da Saúde Marcelo Queiroga também afirmou que medida sobre passaporte sanitário será interministerial

Em coletiva realizada no Palácio do Planalto na tarde desta terça-feira (7), o ministro da Saúde Marcelo Queiroga anunciou que viajantes não vacinados precisarão passar por quarentena para entrar no Brasil, como uma medida de combate à nova variante da Covid-19, a Ômicron.

Depois da pressão do ministro do STF (Supremo Tribunal Federal), Luís Roberto Barroso, Queiroga também abordou a questão do passaporte da vacina, ao informar que “a decisão será interministerial”. Reuniões vão ocorrer ainda nesta terça para um rápido posicionamento, de acordo com o ministro da Saúde. As informações são da Agência Brasil e do portal R7.

Queiroga falou com a imprensa na tarde desta terça (7) – Foto: Fabio Rodrigues-Pozzebom/Agência Brasil/NDQueiroga falou com a imprensa na tarde desta terça (7) – Foto: Fabio Rodrigues-Pozzebom/Agência Brasil/ND

“Vamos, dentro de um breve espaço, passar a posição do Ministério da Saúde, mas será uma posição na linha do que o governo federal tem adotado desde o início da pandemia”, adiantou Queiroga, ao falar sobre a ordem do STF.

Barroso determinou nesta segunda (6) que o governo federal se manifestasse em 48 horas sobre a adoção das medidas recomendadas pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

Medida interministerial

De acordo com o ministro da Saúde, o processo para tomada de decisão envolve uma primeira análise, que já teria sido feita pela Agência, e em seguida, a análise interministerial.

“Não é questão de ser a favor ou contra. São análises técnicas que são feitas. É necessário ampliar o acesso das pessoas à vacina antes de querer cercear as liberdades individuais”, explicou.

Ainda segundo Queiroga, uma reunião com o ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira, deve acontecer ainda nesta terça (7) em Brasília para tratar do assunto. “Vamos rapidamente dar um posicionamento para equacionar essa questão”, disse.

Viajantes não vacinados passarão por quarentena

Também na coletiva desta terça, o ministro anunciou a reabertura das fronteiras do Brasil e a necessidade do cumprimento de quarentena de cinco dias por parte de viajantes não vacinados e, após o período, realizar o teste RT-PCR.

“Nesse contexto que estamos espreitados pela variante Ômicron, que ainda não sabemos o total potencial dessa variante em criar uma nova pressão sobre o sistema de saúde, vamos requerer que os indivíduos não vacinados cumpram uma quarentena de cinco dias e, após a quarentena, realizem o teste. Se der negativo, poderiam normalmente aproveitar todas as belezas desse nosso grande Brasil”, disse Queiroga.

No entanto, ele não informou em quais lugares os viajantes poderão cumprir a quarentena, tampouco qual será o procedimento em caso de teste positivo.

Além disso, Queiroga classificou o passaporte da vacina como uma medida que “cria mais discórdia do que consenso”.

“Esse enfrentamento da pandemia não diz respeito apenas a um chamado passaporte, que cria mais discórdia do que consenso. É necessário defender as liberdades individuais e respeitar os direitos dos brasileiros a acessarem livremente as políticas públicas de saúde. Já conseguimos imunizar com as duas doses de vacina cerca de 80% da população brasileira acima de 14 anos, com mais de 175 milhões de habitantes”, afirmou o ministro da Saúde na coletiva.

+

Saúde

Loading...