Queiroga participa de primeira reunião no Ministério da Saúde

Queiroga foi selecionado para o cargo após saída turbulenta de Pazuello, que deixa de ser ministro em meio à divulgação do cronograma de 562mi de vacinas, mas também no pior momento da pandemia

Ao chegar para a primeira reunião no Ministério da Saúde na manhã desta terça-feira (16), o ministro indicado para a pasta, o médico cardiologista Marcelo Queiroga, disse que vai executar a política definida pelo governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

queiroga; ministro; saúde; ministério; pazuello; bolsonaro; políticaMarcelo Queiroga assumiu a pasta da saúde após o general Eduardo Pazuello sair do Ministério, ainda na segunda-feira (15) – Foto: Geraldo Magela/Agência Senado/Divulgação/ND

“O governo está trabalhando. As políticas públicas estão sendo colocadas em prática. O ministro Pazuello anunciou todo o cronograma da vacinação. A política é do governo Bolsonaro. A política não é do ministro da Saúde. O ministro da Saúde executa a política do governo. O ministro Pazuello tem trabalhado arduamente para melhorar as condições sanitárias do Brasil e eu fui convocado pelo presidente Bolsonaro para dar continuidade a esse trabalho”, disse Queiroga.

Queiroga esteve reunido com Pazuello e ainda não tinha sua nomeação publicada no Diário Oficial da União até o início da noite. Segundo o presidente Jair Bolsonaro, a transição deve durar cerca de duas semanas.

Quem é o novo ministro, Marcelo Queiroga?

O novo ministro da Saúde, o cardiologista Marcelo Queiroga, que foi confirmado confirmado na noite de segunda (15) como substituto do general Eduardo Pazuello, defende o distanciamento social e não acredita em tratamento precoce.

Com perfil mais gestor, segundo o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), o médico terá o desafio de controlar a Covid-19 no momento em que o país enfrenta colapso hospitalar, ao mesmo tempo em que assumirá a meta da gestão anterior de adquirir 529,9 milhões de vacinas.

“Foi decidido agora à tarde a indicação do médico doutor Marcelo Queiroga para o Ministério da Saúde. Ele é presidente da Sociedade Brasileira de Cardiologia. A conversa foi excelente”, afirmou Bolsonaro, nesta segunda.

“Eu já o conhecia há alguns anos, então, não é uma pessoa que tomei conhecimento há poucos dias e tem tudo, no meu entender, para fazer um bom trabalho, dando prosseguimento em tudo o que o Pauzello fez até hoje”, complementou o presidente. A declaração foi dada a apoiadores no Palácio da Alvorada e o vídeo da conversa divulgada nas redes sociais pelo canal Foco do Brasil.

Ele chamou o programa de vacinação contra a Covid-19 de “ousado”. “Política de vacinação em massa continuará presente em nosso governo. Vale lembrar que, desde o ano passado, já contratamos com vários laboratórios, inclusive com transferência de tecnologia”, disse.

Bolsonaro afirmou ainda que Queiroga é também gestor. “Muito mais entendido na questão de saúde, vai fazer outros programas que interessem cada vez mais para diminuir número de óbitos por decorrência dessa doença que se abateu no mundo inteiro”, disse.

Ele não explicou o motivo da troca e elogiou o general. “O trabalho de Pazuello está muito bem feito. A parte de gestão foi muito bem feita por ele e agora vamos partir uma parte mais agressiva no tocante ao combate ao vírus. O doutor Marcelo Queiroga, a partir de amanhã, vai ser publicado no Diário Oficial da União (a nomeação) e começa uma transição que deve demorar uma a duas semanas”, disse.

Queiroga será o quarto nome a assumir a pasta, comandada desde maio por Pazuello.

+

Saúde