Região Sul de SC baixa nível de alerta e Amesc não registra morte por Covid-19 há dois dias

Após três meses, o Sul de SC baixou o nível de alerta na Matriz de Risco Potencial para a Covid-19 do governo do Estado; vacinação é apontada como razão da queda

Após quase quatro meses com a matriz de risco gravíssima, a região Sul de Santa Catarina passou a classificação grave na Matriz de Risco Potencial para a Covid-19. Os dados foram divulgados pela Secretaria de Estado da Saúde (SES), neste sábado (24). Além disso, a região do Extremo Sul de SC não registra mortes por Covid-19 desde quarta-feira (21).

“É uma resposta bastante evidente em função da vacinação, porque os cuidados da população não mudaram muito. Único elemento é a vacinação que está avançando bem”, destaca o secretário de Saúde de Araranguá, Dr. Henrique Besser.

Desde o início da pandemia, a AMESC (Associação dos Municípios do Extremo Sul Catarinense) registrou 625 mortes pela Covid-19. Araranguá, maior cidade da região do Extremo Sul, registrou 240 mortes. “Em Araranguá desde segunda-feira (19), até ontem (23) houve uma morte. Uma redução bastante considerável”, comenta o secretário.

Avanço na vacinação é apontada como a grande causa da baixa dos números da Covid-19 no Sul de SC- Foto: Lucas Sabino/Prefeitura Nova Veneza/NDAvanço na vacinação é apontada como a grande causa da baixa dos números da Covid-19 no Sul de SC- Foto: Lucas Sabino/Prefeitura Nova Veneza/ND

Extremo Sul com risco moderado na ocupação de leitos de UTI

De acordo com os novos dados do Estado, a região, também, agora é considerada de risco moderado quanto à ocupação de leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva). É a primeira vez que três regiões aparecem na cor azul no Mapa de Risco neste quesito. Além do Extremo Sul, as regiões do Alto do Uruguai e o Meio Oeste apresentaram bom índice de capacidade de atenção básica.

Durante esta semana, ainda, o município de Timbé do Sul chegou a ficar dois dias sem registrar nenhum caso novo de Covid-19. Porém, na quinta-feira (22) dois novos casos foram confirmados. No município de cerca de 5.300 habitantes já não há registro de internações pela doença.

“Tivemos pior já. Chegamos a registrar números bem elevados. Nos últimos 15 dias começaram a baixar os números. Não temos nenhum hospitalizado. A vacinação está avançando bem”, destaca a enfermeira-chefe do Posto Central do município, Daniela Arcáro.

Desde abril os leitos e UTI ficavam praticamente lotados em toda a região sul. Porém atualmente, 53% dos leitos estão ocupados. Dos 129 leitos Covid-19, 74 estão ocupados e 55 estão disponíveis em todo o Sul de SC.

Em Criciúma, os números, também, apresentaram grande baixa. Com uma média de 200 pessoas internadas nos últimos meses. O boletim epidemiológico deste sábado (24) aponta 72 pessoas internadas, sendo 31 em UTI. Criciúma registra 344 casos ativos, sendo que a média do último mês era de cerca de 700 casos. A cidade registra, atualmente, 620 mortes por Covid-19 desde o início da pandemia.

Dados sugerem melhora no Estado

Os dados divulgados pelo Estado apontam uma melhora consistente nos índices. Na última semana, eram sete regiões em nível gravíssimo (cor vermelha). Apenas as regiões da Foz do Rio Itajaí, Médio Vale do Itajaí e Nordeste permanecem classificadas com o nível máximo de atenção. Xanxerê, Laguna, Alto Vale do Rio do Peixe e Carbonífera, que na semana passada estavam em nível gravíssimo, conseguiram melhorar os índices nesta semana.

+

Saúde

Loading...