Reinfecção da Covid-19 pode ser mais agressiva mesmo sem variantes, diz estudo da Fiocruz

Estudo ainda não foi publicado e angaria dados de maio a dezembro de 2020; pacientes podem não ter desenvolvido a imunidade adequada, abrindo portas para uma reinfecção perigosa e de sintomas graves

A reinfecção pela Covid-19 é mais agressiva e independe de variantes do vírus. É o que afirma estudo da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz).

A análise, em fase preliminar, ainda não foi publicada e é realizada em conjunto com a UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro) e Idor (Instituto D’Or de Ensino e Pesquisa).

Os dados analisados pela Fiocruz mostram que pacientes infectados apresentaram sintomas mais graves na reinfecção, mesmo que não tenham testado positivo para uma das variantes que circulam no mundo.

fiocruz; reinfeccao; covid-19; agressiva; variantesNem todos os pacientes que contraíram a Covid-19 desenvolveram a imunidade adequada  – Foto: Central vacina blumenau (3)

Quem teve quadro moderado, leve, ou não apresentou nenhum sintoma, pode não ter desenvolvido a imunidade adequada com anticorpos eficientes, abrindo a possibilidade para uma reinfecção mais procupante.

Foram analisados casos do Rio de Janeiro, de maio a dezembro de 2020.

“Nossa descoberta de que pessoas com Covid-19 leve podem ter controlado a replicação do Sars-Cov-2 sem desenvolver imunidade humoral [Subdivisão da imunidade adquirida em que a resposta imunológica é realizada por anticorpos] detectável sugere que a reinfecção é mais frequente do que se supõe, mas essa hipótese não está bem documentada”, descreve o estudo.

+

Saúde