Respiradores: advogado preso em operação é transferido para presídio em Florianópolis

Leandro Barros estava detido há seis dias em uma sala da Diretoria de Investigação Criminal em São José

O advogado Leandro Barros foi transferido para o Complexo Prisional da Agronômica, em Florianópolis na manhã desta quarta-feira (10). Preso há seis dias na Deic (Diretoria de Investigação Criminal), em São José, ele é investigado na Operação Oxigênio.

Leandro Adriano de Barros, ex-secretário de Saúde de Biguaçu, e advogado de Douglas Borba – Foto: Reprodução/TVALLeandro Adriano de Barros, ex-secretário de Saúde de Biguaçu, e advogado de Douglas Borba – Foto: Reprodução/TVAL

A operação é fruto de uma força-tarefa que inclui o Ministério Público, a Polícia Civil e o Tribunal de Contas do Estado e apura fraudes na compra de 200 respiradores pelo governo do Estado.

A informação da transferência de Leandro para a unidade prisional foi confirmada pelo advogado de defesa, Cláudio Gastão Filho.

Em decisão publicada na Vara Criminal da Região Metropolitana de Florianópolis, no fim da tarde de terça-feira (9), o juiz Elleston Lissandro Canali, determinou que o investigado seja recolhido dentro do sistema prisional.

O documento diz que o mesmo deve ser feito com todos os investigados que estejam presos por conta da operação.

São eles: Davi Perini Vermelho e Fábio Deambrósio Guasti, Cesar Augustus Martinez Thomaz Braga e Douglas Borba. A decisão da Justiça deve ser cumprida em um prazo máximo de 48 horas.

O advogado Gastão Filho entrou com recurso e solicitou que o investigado permaneça na sala da Deic ou em “cela especial”. O documento tem respaldo na decisão da Ordem dos Advogados do Brasil, que orienta sobre as prisões de advogados. Caso o sistema prisional não ofereça essa condição, a prisão poderá ser convertida em domiciliar.

+ Saúde