Resposta sobre vacina da Covid-19 virá “no menor tempo possível”, diz diretor da Anvisa

Em sabatina no Senado, Antônio Barra Torres diz que nenhum dos quatro protocolos contra a Covid-19 ainda pediu para ser registrado

Após a sabatina, a Comissão de Assuntos Sociais do Senado aprovou as indicações dos quatro membros aos cargos de diretores da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). Todos os sabatinados devem passar ainda pelo plenário entre terça (20) e quarta-feira (21) e necessitam dos votos favoráveis de, ao menos, 41 dos 81 senadores para serem aprovados.

Além do diretor-presidente Antonio Barra Torres, que recebeu 14 votos favoráveis e três contrários, foram aceitos Alex Campos, por 16 a 1, Cristiane Gomes, por 15 a 2, e Meiruze Freitas, por 16 a 1.

O presidente da Anvisa, Antônio Barra Torres – Foto: Divulgação/Pedro França/Agência Senado/ND

Quem passou na Comissão nesta segunda-feira (19) foi o diretor-presidente da Anvisa, Antônio Barra Torres. Segundo ele, ninguém pediu registro de vacina nenhuma até o presente momento, embora haja quatro protocolos vacinais em desenvolvimento. Entretanto, o diretor disse que “a agência dará resposta no menor tempo possível”.

Mas ele fez questão de destacar que ainda não é possível que se faça uma promessa de data para o lançamento de qualquer produto.

“Qualquer um que disser ‘Dia tal estarei iniciando campanha de vacinação [da Covid-19]’ está se lançando num território extremamente perigoso e com chances de se desdizer num curto intervalo de tempo”, disse.

Segundo Antônio Barra, por estarmos diante de um novo vírus, qualquer tipo de promessa, agora, é temerário. “Se tratar com um vírus é difícil, com um novo é mais [difícil] ainda”, declarou.

Um dos assuntos que mais trouxe discussão na sabatina foi a possiblidade de a agência trabalhar sob pressão.

Torres ficou conhecido por participar de manifestações ao lado do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), contrariando as orientações do Ministério da Saúde, à época comandado pelo ex-ministro Luiz Henrique Mandetta. Mas o diretor minimizou as possíveis pressões sobre a agência e disse que evita misturar o trabalho da autarquia com ideologias.

+

Saúde