Restrições em outras capitais do País podem lotar praias de SC

Prefeitura de Florianópolis ressalta que a permanência nas praias está proibida e a fiscalização segue em regime de força-tarefa com vigilância e policiamento

Enquanto a Prefeitura de São Paulo antecipou cinco feriados para “forçar a cidade a parar” e o Rio de Janeiro resolveu fechar suas praias, o Governo de Santa Catarina vai em direção contrária. Por aqui, o acesso às praias está permitido apenas para a prática de esportes e desde que a pessoa use máscara.

Praias de SC correm risco de ficar lotadas com restrições e feriados em outras capitaisAcesso às praias está permitido em SC, somente para esporte e com máscara – Foto: GMF/Divulgação/ND

As medidas na cidade de São Paulo foram anunciadas na quinta-feira (18). O prefeito Bruno Covas (PSDB) resolveu antecipar os feriados de Corpus Christi previstos para 3 de junho de 2021 e 16 de junho de 2022, da Consciência Negra de 20 de novembro de 2021 e 2022, e o aniversário da cidade, que seria em 25 de janeiro de 2022.

A fim de reduzir o contágio na maior metrópole do País, Covas decidiu que todos esses feriados ocorrem de 26 de março a 1º de abril de 2021.

Já o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (DEM) fez um apelo à população nesta sexta (19). Ele pediu que os cariocas respeitem as medidas restritivas adotadas diante da gravidade da evolução da Covid-19 na cidade.

As ações foram ampliadas até segunda-feira (22), com a publicação de um decreto que restringe o acesso às praias, suspende as áreas de lazer e estacionamentos na orla e a entrada de ônibus fretados na cidade.

Com feriado prolongado em São Paulo e praias fechadas no Rio, a expectativa é de que os turistas venham em peso para o litoral catarinense, onde ir à praia ainda é possível.

Medidas testam poder de fiscalização

Na visão do professor do departamento de Saúde Pública da UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina) Fabrício Menegon, as mais recentes medidas anunciadas para Santa Catarina, que entram em vigor neste sábado (20), dependem de forte fiscalização. Para ele, o governo estadual está apostando as fichas na fiscalização  e no comprometimento das pessoas.

Fiscalização da PMSC nas praias de Santa CatarinaFiscalização acontece em todo o Estado desde o dia 25 de fevereiro – Foto: Mauricio Vieira/Secom/Divulgação/ND

“Só estaremos livres da possível vinda de turistas para cá, com os feriados que estão sendo pensados nos outros Estados se, em Santa Catarina, o governo fiscalizar a ocupação desses espaços públicos, que são os grandes demandantes de aglomeração”, defende Menegon.

Para o especialista em saúde pública, não adianta o governo “colocar medidas a conta-gotas e não fiscalizar”. Menegon acredita que o Governo do Estado está fazendo o que é possível e não o que é necessário.

“O necessário é conter o avanço do vírus, a mortalidade, reduzir a taxa de contágio e parar de colapsar hospital como está ocorrendo em Santa Catarina. Isso só se faz com medidas mais enérgicas”, disse.

Para ele, as medidas recentemente anunciadas são mais do mesmo: “permitir shopping das 10h às 22h, não muda nada. É o que já temos. Sempre funcionaram assim”, disse.

Sobre a multa que deve ser aplicada a quem não usar máscara, para Menegon, o governo está colocando em xeque a sua própria estrutura de fiscalização e, se não aplicar as multas, pode cair no descrédito.

Ele disse que se estivesse no Coes (Centro de Operações de Emergência em Saúde) recomendaria um lockdown de, no mínimo, duas semanas: “estamos precisando disso em Santa Catarina. Está mais do que na hora”, enfatizou.

Menegon cita o exemplo de Portugal, que viu a taxa de novos casos diários de Covid-19 cair de 15 mil, para 1,5 mil passados 28 dias do fechamento.

Comércio de SC e praias nunca mais foram os mesmos com a pandemiaComércio fechado no último fim de semana em Blumenau – Foto: Reprodução/NDTV Blumenau

Ele entende também que o governo catarinense deveria rever suas prioridades: “o dinheiro emprestado para a União terminar a obra da BR-470, por que não foi usado para fomentar micro e pequenos empresários e manter os empregos?”, questiona o especialista em saúde pública.

Prefeito convida turistas para o litoral de SC

Contrário ao lockdown, o prefeito de Bombinhas, Paulinho (DEM), chegou a convidar turistas para o litoral Norte de SC na última quarta-feira (17).

Prefeito de Bombinhas convidou turistas para o litoral Norte de SCPrefeito tem usado redes sociais para se posicionar contra o fechamento do comércio – Foto: Reprodução/Redes Sociais

Ele estava no Aeroporto Internacional de Brasília quando disse que não pretende seguir decretos de lockdown ou o fechamento do comércio e acabou recebendo uma série de críticas, mas manteve o posicionamento.

“Virei vitrine daqueles que são adeptos do fique em casa, ou quanto pior, melhor. Quero aqui falar a alguns blogs que não tenho preocupação alguma com críticas, pois minha vida é aberta e não devo nada a ninguém”, disse Paulinho em novo post nas redes sociais.

O que dizem as autoridades

A Secretaria Municipal de Saúde de Florianópolis informou que, conforme notícia divulgada pelo governo estadual,  está permitida a prática individual de exercício físico em praças, parques, praias, balneários e jardins botânicos. Porém, está proibida a concentração e permanência de pessoas nesses locais.

A Prefeitura ressaltou que não será permitida a permanência nas praias e que a fiscalização segue em regime de força-tarefa, com ações conjuntas, envolvendo Vigilância Sanitária, SUSP (Superintendência de  Serviços Públicos), Guarda Municipal, Polícia Militar e Procon.

Procurada, a SES (Secretaria de Estado de Saúde) não se manifestou sobre o possível aumento na quantidade de turistas nos próximos finais de semana, nem respondeu se aumentará a fiscalização no período para evitar aglomerações.

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.

+

Saúde