‘Retiro totalmente’, diz padre que afirmou que vacina é feita de fetos abortados

Em nota, o padre Claudemir Serafim pediu desculpas aos fiéis e admitiu que declaração sobre imunizantes contra a Covid-19 estava equivocada

O padre Claudemir Serafim, que viralizou após afirmar que a vacina contra a Covid-19 seria produzida a partir de fetos abortados, se desculpou em nota, divulgada nesta quarta-feira (3). O caso aconteceu durante uma missa dominical em Pedras Grandes, no Sul do Estado.

Padre Claudemir SerafimPadre afirmou que não questionou a eficácia das vacinas – Foto: Youtube/Reprodução/ND

O pároco foi repreendido pela diocese onde atua após a repercussão negativa do vídeo que registra as afirmações do religioso. “Retiro totalmente minha fala sobre o fato de as vacinas terem sido feitas de fetos abortados. Declaro-a equivocada”, declarou no texto.

Ele ainda pediu perdão ao bispo diocesado e aos fiéis que se sentiram ofendidos pelas falas. “Declaro, por conseguinte, que não pus em xeque a eficácia das vacinas”, disse.  O padre afirmou que, antes de se desculpar, rezou e se consultou com pessoas próximas, incluindo o “diretor espiritual”.

Repercussão

Durante a missa, realizada no fim de janeiro, o padre declarou que as vacinas contra a Covid-19 seriam feitas “comprovadamente” de fetos abortados. Disse, ainda, que haveria mais mortes por aborto do que pelo novo coronavírus.

Até a manhã desta sexta-feira (5), já foram registrados

+

Saúde