Saiba como os municípios de SC estão se preparando para vacinação

Enquanto alguns municípios catarinenses se movimentam para compra de insumos, outros aguardam repasse pelos governos Federal e Estadual

A vacinação contra a Covid-19 em Santa Catarina ainda não tem data certa para começar. Mas isso não quer dizer que os municípios catarinenses não estejam se organizando para garantir a imunização.

Municípios de Santa Catarina se preparam para a vacinação contra a Covid-19 – Foto: PMJ/Divulgação/NDMunicípios de Santa Catarina se preparam para a vacinação contra a Covid-19 – Foto: PMJ/Divulgação/ND

O governo de Santa Catarina já conta com um plano estadual de imunização contra a Covid-19.

O plano está dividido em quatro etapas e para garantir a imunização da população é necessários o dobro de insumos como agulhas e seringas.

Enquanto alguns municípios catarinenses se movimentam para aquisição desses insumos, outros aguardam o repasse por parte do governo federal e do governo estadual.

Para saber como os municípios do Estado estão se organizando no que se refere à vacinação contra a Covid-19, o ND+ entrou em contato com as associações e consórcios de saúde.

A Ammoc (Associação dos Municípios do Meio-Oeste Catarinense), Amarp (Associação dos Municípios do Vale do Rio do Peixe), Amplasc (Associação dos Municípios do Planalto Sul de Santa Catarina), AMVALI (Associação dos Municípios do Vale do Itapocu) e a Amavi (Associação dos Municípios do Alto Vale do Itajaí), não retornaram ao contato da reportagem.

Confira por região:

AMFRI (Associação dos Municípios da Região da Foz do Rio Itajaí)

O CIS-Amfri (Consórcio Intermunicipal de Saúde da Região da Foz do Rio Itajaí) informou que não há, tanto por parte da associação quanto do consórcio, processo de compra para aquisição de insumos em aberto.

Na semana que vem haverá a primeira reunião do ano com os secretários municipais de saúde da região, quando serão debatidas questões relacionadas à compra de insumos.

Fazem parte da Amfri os municípios de Balneário Camboriú, Camboriú, Itapema, Penha, Balneário Piçarras, Ilhota, Luiz Alves, Porto Belo, Bombinhas, Itajaí e Navegantes.

Amunesc (Associação de Municípios do Nordeste de Santa Catarina)

Os municípios da Amunesc seguem com procedimentos distintos. Não há, até o momento, solicitação de compra de insumos como seringas e agulhas a nível regional.

O município de Araquari informou que aguarda posicionamento do Ministério da Saúde e da Secretaria de Estado da Saúde, mas já enviou carta de intenções de compra ao Instituto Butantan e está preparado para fazer a aquisição de vacinas para toda a população.

Segundo a secretária Municipal de Saúde, Tânia Eberhardt, “o município está preocupado em imunizar também aquelas pessoas que não pertencem ao grupo de risco, que são os que mais se contaminam e mais contribuem para a disseminação do vírus”.

Conforme a Secretaria de Saúde de Campo Alegre, o município aguarda a orientação do governo federal e do governo do Estado. Não há previsão de aquisição de vacina ou insumos.

O município de Garuva afirma estar pronto para iniciar imunização contra a Covid-19 através do Plano Nacional de Imunização.

De acordo com o prefeito, Rodrigo Adriany David, que também é médico, “o município já possui quatro refrigeradores especiais que estão nas unidades de saúde para refrigeração de vacinas, inclusive com gerador próprio, para caso haja queda da energia elétrica.”.

Segundo a diretora de Atenção Primária a Saúde, Nelise Dias Vieira da Silva, a Secretaria de Saúde do município possui seringas e agulhas disponíveis em estoque para vacinar toda a população estimada e seguirá todos os procedimentos exigidos pelo Ministério da Saúde e Secretaria de Estado da Saúde.

A cidade de Joinville realizará coletiva de imprensa nesta quinta-feira (14), quando será descrito o plano de contingência para vacinação.

Conforme Rafael Schroeder, secretário de Saúde de Rio Negrinho, o município aguarda agora as diretrizes do governo federal para aquisição dos insumos. “Já estamos orçando os insumos para suprir a demanda do município e iremos seguir o Plano Estadual de Vacinação”, frisa.

O município de Balneário Barra do Sul planeja a compra de 15 mil unidades dos insumos necessários para a vacinação, abrangendo assim toda a população barrasulense. A compra deve se dar via Consórcio de Saúde.

Itapoá aguarda reunião da CIR (Comissão Intergestores Regional) para realizar o planejamento da imunização no município.

AMREC (Associação dos Municípios da Região Carbonífera)

Os 18 municípios que fazem parte da AMREC e mais os municípios de Balneário Arroio do Silva, Jacinto Machado, Meleiro, Morro Grande, Sombrio e Turvo, que participam da Amesc (Associação dos Municípios do Extremo-Sul Catarinense), estão finalizando o processo de licitação para compra de insumos.

Isso inclui seringas e todo o material necessário para a vacinação da população. A expectativa é que sejam vacinados em torno de 520 mil pessoas.

De acordo com Roque Salvan, diretor executivo da CISAMREC (Consórcio Intermunicipal de Saúde da AMREC), o processo de compra é uma forma de prevenção, caso haja demora na entrega de insumos por parte da Secretaria de Estado da Saúde ou do Ministério da Saúde.

No dia 4 de janeiro, o consórcio protocolou a documentação de intenção de compra da vacina CoronaVac no Instituto Butantan.

“Os municípios esperam que o Ministério da Saúde forneça a vacina para cada município. Os municípios não querem ter que arcar com essa despesa, mas se demorar muito, o Butantan vai fornecer pelo consórcio de saúde e estaremos habilitados para a compra da vacina”, informou Roque.

Granfpolis (Associação dos Municípios da Grande Florianópolis)

Na manhã desta quarta-feira (13), 17 dos 22 prefeitos que participam da Granfpolis participaram de uma reunião virtual para tratar de todo o esquema de vacinação na região.

De acordo com a assessoria da Associação, a ideia é trabalhar de forma integrada. O prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro, repassou aos prefeitos a situação da vacinação envolvendo o governo estadual e o governo federal.

Na próxima sexta-feira (15), está marcada uma reunião presencial com todos os secretários municipais de saúde da região para discutir o planejamento da vacinação em cada município.

A Prefeitura de Florianópolis, por meio da Secretaria de Saúde, já está preparada para receber vacinas contra o novo Coronavírus.

Ao todo a administração municipal já possui 300 mil seringas e 235 mil agulhas. Somado a estes números, dentro dos próximos dias mais insumos serão recebidos.

A equipe da Secretaria Municipal de Saúde de São José divulgou nesta quarta o Plano de Vacinação contra a Covid-19. De acordo com o município, é responsabilidade do Ministério da Saúde a aquisição de todas as vacinas contra a Covid-19, assim como a aquisição e logística de insumos.

A Secretaria Municipal de Saúde informou que garantirá cerca de 110 mil seringas e agulhas para assegurar o planejamento realizado.

A rede municipal de imunização conta com 56 vacinadores capacitados em sala de vacina. A estrutura compreende 26 salas públicas credenciadas e mais duas privadas, além da rede de municipal responsável pelo armazenamento e distribuição das vacinas e insumos.

AMMVI (Associação dos Municípios do Médio Vale do Itajaí)

A AMMVI, através do CISAMVI (Consórcio Intermunicipal de Saúde do Médio Vale do Itajaí) informou que está em andamento o processo de licitação de compra de insumos para a vacinação.

De acordo com o diretor executivo do CISAMVI, Cleones Hostins, na primeira semana de fevereiro, está marcada uma reunião com secretários municipais de saúde da região para definir se ampliarão o quantitativo de insumos com nova licitação ou se irão aguardar pelo repasse do Ministério da Saúde.

Amurel (Associação dos Municípios da Região de Laguna)

A Amurel informou que não há, no presente momento, nenhum processo de aquisição de insumos para a vacinação. Informou ainda que os municípios que fazem parte da associação estão se organizando de forma individual.

Cisamurc (Consórcio Intermunicipal de Saúde da Região do Contestado)

O Cisarmuc, que conta com municípios da Amurc (Associação de Municípios da Região do Contestado) e da Amplanorte (Associação de Municípios do Planalto Norte Catarinense) informou que não há movimentação para aquisição de insumos para a vacinação contra a Covid-19.

Vacinação no Brasil pode começar entre 20 de janeiro e 10 de fevereiro – Foto: Pixabay/NDVacinação no Brasil pode começar entre 20 de janeiro e 10 de fevereiro – Foto: Pixabay/ND

O Consórcio aguarda o repasse pelo Ministério da Saúde. Na próxima sexta, está marcada uma assembleia com os prefeitos dos municípios para definir o andamento do plano de imunização.

Amures (Associação dos Municípios da Região Serrana)

A Amures informou que a responsabilidade pela vacinação da população é do governo federal. Sendo assim, a associação, via consórcio, não prevê a aquisição de insumos ou vacinas.

“Não tem porque trazermos mais essa responsabilidade para os municípios. Praticamente todos os municípios já têm estoque de seringas, por exemplo”, disse Walter Manfroi, secretário executivo da Associação.

CIS-AMOSC (Consórcio Intermunicipal de Saúde do Oeste Catarinense)

Na região Oeste, em 2020, o CIS-AMOSC (Consórcio Intermunicipal de Saúde do Oeste Catarinense) adquiriu 49.650 testes rápidos de Covid-19 para as 52 cidades que fazem parte do consórcio. A compra foi feita por meio de um pregão eletrônico.

O mesmo acontecerá para a aquisição de insumos, como agulhas e seringas. A compra imunizará cerca de 700 mil habitantes entre os municípios atendidos.

Segundo a diretora-executiva do CIS-AMOSC, Geísa Müller de Oliveira, alguns municípios já levantaram a demanda de seringas e agulhas, mas o Consórcio realizou um levantamento mais detalhado com todos os insumos que envolvem a questão de vacinação, como seringas, agulhas, algodões e curativos.

Integram o CIS-AMOSC municípios das regiões da AMOSC (Associação dos Municípios do Oeste de Santa Catarina), AMAI (Associação Municípios Alto Irani), AMNOROESTE (Associação Municípios Noroeste de Santa Catarina), AMAUC (Associação dos Municípios do Alto Uruguai Catarinense) e AMERIOS (Associação do Município Entre Rios).

CONDER (Consórcio de Desenvolvimento do Extremo-Oeste)

Na região do Extremo-Oeste do Estado, o CONDER (Consórcio de Desenvolvimento do Extremo Oeste) também se prepara com a realização de pregão eletrônico para a compra dos insumos. Ao todo, 20 cidades com uma população de aproximadamente 195 mil habitantes serão atendidas.

“A partir da próxima segunda-feira organizaremos individualmente com cada município o levantamento de demandas específicas para o processo de imunização da Covid-19”, disse o presidente do Conder, Cláudio Junior Wenschenfelder.

+

Saúde