Santa Catarina confirma mais um caso de febre amarela

Foram duas mortes na Grande Florianópolis e uma no Médio Vale do Itajaí. Doença é grave e pode evoluir rapidamente se não for tratada de forma rápida e eficaz

Santa Catarina já registrou, até o momento, oito casos de febre amarela, com três mortes pela doença. Entre todos os oito infectados, nenhum deles havia sido vacinado contra o vírus.

Santa Catarina chega a três mortes por febre amarela em 2021 – Foto: Secom/Divulgação/NDSanta Catarina chega a três mortes por febre amarela em 2021 – Foto: Secom/Divulgação/ND

Entre as mortes registradas, a primeira foi de um homem de 34 anos, morador de Águas Mornas, na Grande Florianópolis. A segunda se trata de um morador de São Bonifácio, de 59 anos, também região da Grande Florianópolis. O terceiro, de 39 anos, morava em Blumenau, no Médio Vale do Itajaí.

Os dados são da Dive/SC (Diretoria de Vigilância Epidemiológica), que apontam que a doença é grave e pode evoluir rapidamente se não for tratada de forma rápida e eficaz.

Com a pandemia de Covid-19, a Dive/SC informou que a procura pela vacina contra a febre amarela no Estado diminuiu. O órgão, que já está com campanhas de vacinação contra a Covid-19 e a Influenza, não iniciou uma campanha específica contra a febre amarela.

Atualmente, a cobertura vacinal contra a febre amarela no Estado está em 76,74%. Segundo o Ministério da Saúde, o ideal seria atingir pelo menos 95% de cobertura para que surtos da doença sejam evitados.

Febre amarela e prevenção

Os principais sintomas da doença são início abrupto de febre, calafrios, dor de cabeça intensa, dores nas costas e no corpo, náuseas e vômitos, fraqueza, cansaço e dor abdominal. A pele amarelada é um dos indicativos de gravidade.

O diretor da Dive/SC, João Augusto Brancher Fuck, já reforçou a importância de procurar atendimento.

“Ao apresentar algum sinal ou sintoma, é importante procurar atendimento médico imediatamente, além de relatar, no atendimento, se é morador de borda de mata ou se realizou alguma atividade em matas nos últimos dias e se não tem a dose da vacina”, explica.

No Brasil, a febre amarela é transmitida pelos mosquitos dos gêneros Haemagogus e Sabethes. Os macacos, que vivem no mesmo ambiente silvestre que esses mosquitos, são as primeiras vítimas da doença. Por isso, é importante comunicar à Secretaria Municipal de Saúde ao encontrar um macaco morto ou doente.

Segundo a gerente de imunização da Dive/SC, Arieli Schiessl Fialho, a vacinação ainda é a melhor maneira de prevenir a febre amarela. “Todos os moradores de Santa Catarina com mais de nove meses devem ser imunizados. A dose está disponível nos postos de saúde”, completa.

+

Saúde

Loading...