Santa Catarina registra 21 macacos com suspeita de Febre Amarela

Em comparação ao último relatório divulgado pela DIVE/SC, no início de novembro, 21 primatas estão sendo investigadas; número em humanos não aumentou

Entre os 326 casos de macacos suspeitos de Febre Amarela em Santa Catarina, 21 são investigados e poderão aumentar o número em primatas com a doença. Entre os humanos, o número de mortes não aumentou – foram registradas duas mortes. O boletim foi divulgado pela DIVE/SC (Diretoria de Vigilância Epidemiológica), na última sexta-feira (29). A comparação é realizada com o penúltimo boletim publicado no dia 1° de novembro deste ano.

Rio de Janeiro – Rio Imagem abre posto de vacinação contra a febre amarela, no centro do Rio, com funcionamento das 7 às 22h. (Tomaz Silva/Agência Brasil) – Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil/NDRio de Janeiro – Rio Imagem abre posto de vacinação contra a febre amarela, no centro do Rio, com funcionamento das 7 às 22h. (Tomaz Silva/Agência Brasil) – Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil/ND

O número de casos suspeitos de Febre Amarela, em primatas, foi de 326 espalhadas em 72 municípios de Santa Catarina. No entanto, apenas seis foram confirmados em decorrência da doença. Além disso, 67 seguem em investigação – 21 a mais que o divulgado no início de novembro – e outros 108 casos tiveram a causa indeterminada.

Dos seis casos de mortes confirmadas, Joinville registrou três em decorrência da Febre Amarela. Os outros foram em Jaraguá do Sul, Garuva e Indaial.

Casos em humanos

Os casos são notificados e registrados quando apresentam sintomas compatíveis com a Febre Amarela. Dos 58 casos de suspeitas em humanos, Itajaí registrou nove notificações, o município com o maior número.

Joinville foi a segunda, com sete casos de suspeitas. Além disso, o município registrou um caso confirmado. A segunda morte, em decorrência da doença, foi em Itaiópolis, no Norte do Estado.

Leia também: 

Imunização

A vacina contra a febre amarela é o único meio de prevenção contra a doença. Além disso, é altamente imunogênica, segura e confere proteção de 95% a 99% dos vacinados.

Desde julho de 2018, todo o estado de Santa Catarina é Área com Recomendação de Vacina. Ela é elaborada a partir de vírus vivo atenuado, que estimula a produção de anticorpos contra a doença.

Neste sentido, todas as pessoas, a partir dos nove meses de idade tem indicação para receber a vacina.

+

Saúde

Loading...