Saúde do homem fica em segundo plano em evento no Centro Multiuso de São José

Maioria das pessoas que conferiam a 1ª Semana de Saúde do Homem de São José estavam em busca de produtos vendidos em bazar beneficente

Uma das principais propostas do evento realizado neste fim de semana (23 e 24) no Centro Multiuso de São José não obteve o impacto almejado, o de esclarecer homens, especialmente os acima dos 40 anos, sobre os cuidados, doenças e tratamentos em saúde. A 1ª Semana de Saúde do Homem de São José foi promovida pela Prefeitura Municipal, em parceria com a ACM (Associação Catarinense de Medicina), que durante três dias realizou um bazar beneficente com produtos doados pela Receita Federal.

O que predominou durante o evento foi a procura dos visitantes pelos produtos, comercializados entre R$ 1 e R$ 180. Para o urologista Flávio Heldwein, da comissão organizadora da Associação Catarinense de Medicina, o impacto observado na ação retratou a realidade que ainda predomina na sociedade, quanto ao desinteresse dos homens quando o assunto é saúde. “Por isso os homens morrem muito mais cedo do que a mulher. Ainda existe muito preconceito e desinteresse pelo tema”, opina. Para o médico, a ação dos profissionais da saúde deveria ser mais efetiva e direta.

Apesar do tabu, o urologista diz ser considerável o número de procedimentos médicos realizados mensalmente em pacientes do sexo masculino. “No Hospital Regional realizamos cerca de 40 procedimentos por mês, como biópsias de próstata, cirurgia de desobstrução urinária e pequena cirurgias, como de câncer, rim, próstata e bexiga”, cita. A renda obtida com o bazar beneficente, em torno de R$ 250 mil, servirá para equipar o setor de urologia do hospital. “Precisamos de pelo menos 84 equipamentos, orçados em R$ 500 mil. Não alcançamos a meta, mas já ajuda a começar”, calcula Flávio Heldwein.

Perfumaria e brinquedos são preferências

As filas mais disputada durante o bazar foram as que davam acesso às salas onde estavam expostos os produtos de beleza e artigos infantis. De acordo com a voluntária Elisabete Guedes Melo, cerca de 150 pessoas em cada hora do dia entravam na sala de perfumarias. “Recebemos muitos cremes, perfumes e maquiagens. O movimento foi grande durante o final de semana”, observou.

O escriturário André Schmidt, 36, que mora em Santo Amaro da Imperatriz, aproveitou o final de semana com a filha Betina, de oito anos, para comprar alguns presentes. “Minha filha vai direto aos brinquedos e eletrônicos. Ficamos sabendo do evento pela televisão, mas infelizmente não vi ninguém fazendo abordagem sobre a ação da saúde do homem”, disse Schmidt, que na tarde de sábado presenteou Betina com uma fita de videogame e um jogo.

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Saúde

Loading...