Saúde entra em sobrecarga em Chapecó e gabinete de crise será instalado

Segundo o diretor técnico da Secretaria da Saúde de Chapecó, João Lenz, após testes rápidos com aproximadamente 50 pacientes, 70% testaram positivo

A situação da saúde em Chapecó se agravou rapidamente. Neste fim de semana, houve aumento na quantidade de testes positivos e sobrecarga na estrutura hospitalar, o que levou à adoção de mais medidas restritivas.

Neste domingo (14), o governador Carlos Moisés (PSL) resolveu instalar um gabinete para gerenciamento da crise na cidade. Nesta segunda-feira (15), o secretário de saúde, André Motta Ribeiro, e o chefe da Casa Civil, Eron Giordani, vão até Chapecó.

Chapecó, no Oeste de SC, vive momento de crise no enfrentamento à Covid-19Desde janeiro, mais de 70 pacientes da Covid-19 foram transferidos de Chapecó para outras regiões do Estado – Foto: Divulgação/ND

Durante uma live no Facebook da Prefeitura, o prefeito de Chapecó, João Rodrigues (PSD) informou que foram realizados 53 testes para a Covid-19 no ambulatório da prefeitura no domingo pela manhã (14). Desses, 70% acusaram resultado positivo para a doença.

No HRO (Hospital Regional do Oeste), não há mais pontos de oxigênio. Até a médica chefe da UTI foi intubada no sábado (13), por conta da Covid-19. Ao todo, 63 pacientes estão internados nas UTIs destinadas a atender pessoas com a doença, somente no HRO.

Neste domingo, foi realizada uma nova transferência emergencial de um paciente com a doença. Trata-se de um idoso, de 68 anos, que foi removido do HRO para o Hospital Marieta Konder Bornhausen, em Itajaí.

As transferências de pacientes para amenizar as taxas de ocupação nas UTIs da região ocorrem desde janeiro. Mais de 70 pacientes foram transferidos dos hospitais do Oeste para outras regiões do Estado.

Unimed fala em “extrema sobrecarga”

Em comunicado oficial, a Unimed Chapecó pediu a colaboração da população da região para que intensifiquem as medidas de combate ao novo coronavírus.

“O momento é de extrema sobrecarga dos serviços de saúde de toda região. O sistema de saúde está no limite de suas capacidades física, mental e de infraestrutura”, disse a empresa no comunicado.

“Situação é muito pior no momento”, diz prefeito

Também na live, o prefeito João Rodrigues disse que a população não percebeu o que a cidade está vivendo.

“Boa parte sabe, mas muitos ainda não acreditam. Acham que isso é brincadeira. Diferentemente do ano passado, a situação é muito pior no momento. O contágio do coronavírus em Chapecó é alarmante, acima da média, algo impressionante”, relatou o prefeito.

Em live, o prefeito João Rodrigues falou sobre o momento crítico da cidadeJoão Rodrigues (ao centro) disse que população ainda não se deu conta da gravidade da situação – Foto: Divulgação/Prefeitura de Chapecó

Rodrigues garantiu que não está querendo criar terrorismo em ninguém e que não é o seu perfil gerar pânico na sociedade. Em seguida, Rodrigues disse que se não disser isso, estaria faltando com a verdade.

Posted by Prefeitura de Chapeco (Oficial) on Sunday, February 14, 2021

Na live, ele estava com o diretor administrativo do hospital Regional, Osmar Arcanjo de Oliveira, e do diretor técnico da Secretaria da Saúde de Chapecó, João Lenz

Novas restrições entram em vigor

Também pelas redes sociais, a prefeitura anunciou algumas medidas restritivas. Elas constam no decreto 40.272, de 13 de fevereiro, e que já estão em vigor.

O que muda em Chapecó:

  • Ficam suspensas, até 22 de fevereiro, atividades em bares, petiscarias, choperias, cervejarias e de quaisquer outros locais destinados a happy hours.
  • Restaurantes podem funcionar somente das 10h às 14h e das 18h às 22h, respeitando a lotação máxima, prevista no regramento estadual para o nível gravíssimo.
  • Também foram suspensas em Chapecó, até 22 de fevereiro, todas as atividades em templos e igrejas, além de cinemas e teatros, em qualquer horário.

Secretário de Saúde acompanha situação

Em entrevista ao Grupo ND na sexta-feira (12), o secretário de saúde disse que o governo está em contato direto com o município, para ajudar na gestão da crise.

“Estamos acompanhando direto, falei com o prefeito João três vezes hoje (12). Problemático lá, vamos na semana que vem até lá, olhar os hospitais por dentro. Tem muito problema, muita coisa acontecendo que poderia ser diferente”, disse Motta Ribeiro.

Segundo o secretário de saúde, em novembro, quando todo Estado estava mal em relação à Covid-19, os casos diminuíram nas demais regiões, porém, Chapecó manteve alta. O secretário lamentou o fato de que a cidade vem registrando bailes e as boates estão abrindo.

Ainda de acordo com o secretário, o calorão também está levando às pessoas à rua, o que é natural, após um ano de enfrentamento à doença. Para ele, os gestores devem intervir.

Presidente Bolsonaro é alertado

O senador Jorginho Mello (PL) divulgou em seu Twitter que comunicou o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) sobre a situação delicada em Chapecó.

De acordo com a publicação do senador, o Ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, foi alertado também para que dê “atenção máxima” para a cidade.

Acesse e receba notícias de Chapecó e região pelo WhatsApp do ND+

Entre no grupo
+

Saúde