Saúde: Florianópolis terá serviço de atendimento pré-clínico gratuito

Pacientes poderão agendar consultas e tirar dúvidas com profissionais de saúde sem sair de casa por meio do Alô Saúde; prefeitura lança o serviço na próxima segunda (16)

A Prefeitura Municipal de Florianópolis lança na próxima segunda-feira (16) o Alô Saúde. O programa voltado para o atendimento pré-clínico de saúde, permite que a população agende consultas, tire dúvidas e converse com o médico sem sair de casa.

“É um programa inovador que vai diminuir as filas nos postos de saúde e melhorar o atendimento da população. O Alô Doutor vai aproximar cada vez mais paciente e médico”, destaca o prefeito Gean Loureiro (DEM).

O Alô Saúde será implementado em três etapas nas 49 UBS (Unidades Básicas de Saúde) de Florianópolis. A primeira, iniciada nesta segunda-feira, engloba apenas unidades que têm equipes de saúde completas — técnico em enfermagem, enfermeiro e médico.

Leia também:

Entre elas estão às unidades instaladas nos bairros Tapera, Rio Tavares, Ribeirão da Ilha, Centro, Lagoa da Conceição, Santo Antônio de Lisboa e Jardim Atlântico.

A segunda fase será iniciada no dia 25 de maio com a ampliação do atendimento para outras 14 unidades. A etapa final está prevista para o segundo semestre, quando todas as UBS oferecerão os serviços do Alô Saúde.

Prefeito Gean Loureiro e o o secretário de Saúde Carlos Alberto Justo da Silva apresentem o serviço – Foto: Anderson Coelho/ND

O modelo foi importado da Inglaterra, onde um serviço semelhante já funciona há mais de 10 anos. No Brasil, garante a Prefeitura, ele é o único disponível pelo SUS (Serviço Único de Saúde).

O programa, promessa de campanha do prefeito Gean, será lançado no último ano de mandato de sua gestão. A justificativa, segundo ele, foi à implementação de políticas públicas anteriores, necessárias para a garantia do funcionamento do Alô Saúde.

“Essa não é uma política de governo, mas sim de Estado. Antes de aplicá-la foi preciso trabalhar as equipes, criar um prontuário eletrônico e comprar equipamentos para as UBS”, esclarece Gean.

Atendimento via app, Whatsapp, site e telefone

O Alô Saúde vai funcionar por meio de site, aplicativo para dispositivos móveis, telefone e WhatsApp. A ideia é que a população se aproxime dos médicos e tenha um atendimento pré-clínico em casa.

O serviço por meio do telefone será feito através do número 0800-333-3233. As ligações serão atendidas em um primeiro momento por um técnico de enfermagem. Ele fará questionará os sintomas do paciente e, caso seja necessário, encaminhará o atendimento para o próximo nível.

Agendamentos de consultas e dúvidas a respeito de vacinas e exames poderão ser respondidos já neste primeiro atendimento.

O segundo nível consiste no atendimento com um profissional da enfermagem. Neste momento, serão verificados sintomas a fim de que o enfermeiro possa fornecer recomendações de saúde ao paciente.

O atendimento, defende a prefeitura, não substitui consultas presenciais. “Ele funciona como uma maneira de auxiliar o processo de atendimento aos pacientes. Uma forma em que se agilize o serviço e evite consultas desnecessárias”, afirma o secretário de Saúde Carlos Alberto Justo da Silva.

Alô Saúde prestará atendimento pré-clínico para pacientes do SUS – Foto: Anderson Coelho/ND

Serviço de Saúde da Família integrado

Outro serviço oferecido pelo programa Alô Saúde é o contato via WhatsApp entre os profissionais do programa Saúde da Família e os pacientes.

Em cada unidade de saúde a população será instruída sobre o número de contato de sua equipe de Saúde da Família. Em Florianópolis, estima a prefeitura, cada uma das equipes atende em média 3.000 pessoas.

O contato servirá para que os pacientes possam tirar dúvidas com os profissionais que já os atendem regularmente nas UBS.

Cada profissional da saúde dedicará uma parte do turno de trabalho para responder as mensagens dos pacientes. “Isso já é aplicado com os servidores da educação, por exemplo. Eles têm a hora atividade reservada para planejamento das atividades. O atendimento dos médicos será semelhante”, conta Gean Loureiro.

Contudo, unidades como Ingleses e Rio Vermelho, no Norte da Ilha, tem um número inferior de equipes. Tal fato resulta no maior número de pacientes por equipes. Sendo assim, essas unidades só entram no programa na terceira fase, no segundo semestre.

Até lá, a população poderá usar os demais serviços do Alô Saúde, sem maior prejuízo. O atendimento completo só será estabelecido após a contratação de mais profissionais. Segundo a prefeitura, o processo de contratação já está em andamento.

Implementação do projeto Alô Saúde será feito em três etapas – Foto: Arte Rogério Moreira Jr/ND

Aplicativo e site são complementares

O site e aplicativo do Alô Saúde estarão disponíveis para acesso na segunda-feira (16). O primeiro contará com 30 informes sobre doenças e suas profilaxias que integram o “Saúde de A-Z”.

Entre as doenças explicadas pelo site estão os cuidados com o coronavírus (COVID-19). Além dos sintomas, estão listados orientações a respeito da contaminação pelo vírus.

Já o aplicativo, que poderá ser baixado por IOS e Android, possibilita a inclusão de fotos, alarmes e lembretes sobre medicamentos e oferece a opção de atendimentos em vídeochamadas.

Baixado gratuitamente, ele exigirá um login que deve ser feito por meio do CPF. A partir dele, o aplicativo gera uma senha aleatória que posteriormente poderá ser modificada.

Atendimento 24 horas

De acordo com a prefeitura, o serviço do Alô Saúde funcionará 24 horas. O modelo de atendimento também é inovador. Cada ligação deverá ser atendida em no máximo 20 segundos e no caso das vídeochamadas, em 30.

Caso não seja feito o atendimento no tempo previsto, a empresa responsável receberá uma multa. Uma sanção financeira também será feito caso os atendimentos não sejam feitos por falta de pessoal. Os valores não foram informados pela Prefeitura.

Segundo a prefeitura, cerca de 60 técnicos em enfermagem foram contratados para o serviço. Os profissionais atuaram em quatro turnos distintos.

+

Saúde