Covid-19 em SC: Maior alta de casos de 2021, 7 mil mortes e 32% dos hospitais lotados

Crise da Covid-19 deixa os leitos de UTI ocupados em 89 em SC%; municípios planejam novas restrições com alta expressiva de casos e mortes

Nesta terça-feira (23) Santa Catarina chegou a 7.044 mortes pela Covid-19, com inclusão de 56 vítimas em 24h, e teve a maior alta de casos do ano de 2021, com  mil 6.177‬ casos confirmados em 24h.

Até então eram cerca de 2 a 3 mil casos confirmados diariamente, deixando a média de fevereiro em cerca de 20 mil casos por semana.

Covid-19; sc; casos; mortes; alta; hospitaisChapecó não tem mais leitos de UTI no hospital privado para pacientes com coronavírus – Foto: NDTV/Reprodução/ND

A situação demonstra o agravamento da pandemia no Estado, que tem como principal preocupação a alta taxa de internados em UTI (Unidades de Terapia Intensiva) em decorrência do vírus.

Os últimos dados indicam uma ocupação global de 89% dos 1.567 leitos de UTI da rede pública de todo o Estado. Atualmente, 18 hospitais dos 55 existentes, estão totalmente lotadas.

A capacidade de atenção tem sido um índice que colaborou fortemente para que o mapa de risco voltasse para a fase em que praticamente todas as regiões estão no nível gravíssimo.

Santa Catarina têm 29.489 pacientes ativos do vírus, deixando a capacidade de transmissão da Covid-19 em alta, apesar dos 611 mil recuperados,

“O número de reprodução efetivo (Rt), indicador que mede a
taxa de transmissão do vírus na população, há meses vem se mantendo num patamar próximo ou acima de 1 na maioria das regiões, significando que o Sars-CoV-2 continua circulando fortemente no estado. Isso, de alguma forma, se confirma pelo elevado número de pessoas que atualmente continuam contaminadas (mais de 24 mil)”, diz o Boletim da Necat/UFSC (Núcleo de Estudos de Economia Catarinense), coordenado pelo Professor Lauro Mattei.

Nacionalmente, Santa Catarina ainda é, segundo os dados do Conass (Conselho Nacional de Secretarias de Saúde), o 4º Estado com maior número de confirmações de casos e o 12º em mortes pela Covid-19.

A edição do documento, do sábado (20), dá enfoque ao caso da Grande Florianópolis, região que soma um montante equivalente a 20% de todos os casos confirmados em solo catarinense.

A cidade de Joinville, contudo, ainda é o epicentro, somando sozinha o maior número de casos.

Em ambas as cidades são mais de 20 mil confirmações a mais do que os demais municípios.

Os municípios com mais casos confirmados da Covid-19 em SC são:

  • Joinville: 60.612
  • Florianópolis:56.876
  • Blumenau:34.514
  • São José: 24.972
  • Criciúma: 22.129
  • Chapecó: 22.046
  • Palhoça: 19.008
  • Balneário Camboriú: 18.223
  • Itajaí: 17.172
  • Brusque: 16.704

Além das cidades citadas, o Oeste também apresenta uma situação crítica, considerando a alta de casos e mortes dos últimos dias, com cidades que quadruplicaram o atendimento, e a lotação total dos leitos especiais para a Covid-19 na última semana em toda a região.

Nesta segunda (22) Chapecó adotou um “lockdown parcial” em virtude da situação crítica. Da mesma forma, a Grande Florianópolis adotou medidas semelhantes para conter o vírus, que teve alta expressiva na contaminação na região.

“Tivemos uma reunião com os prefeitos da Grande Florianópolis, com representantes da secretaria de saúde, e nós apresentamos um relato do momento que começa a ficar crítico na nossa região, e há uma necessidade urgente de tomar medidas imediatas”, disse o prefeito da capital Gean Loureiro (DEM), em entrevista ao Balanço Geral.

Atualmente a capital catarinense tem 220 leitos de UTI, sendo que 17 estão indisponíveis e 203 estão ocupados, reduzindo a capacidade de atenção à população.

O Covidômetro também registra um total de 437 mortes e 58 mil casos em Florianópolis, refletindo o risco gravíssimo que atinge a cidade e a sua região metropolitana.

SC ultrapassa as 200 mil doses aplicadas

Os últimos dados, da segunda (22), indicam 204.132 vacinados em solo catarinense, com informações da DIVE (Diretoria de Vigilância Epidemiológica).

O número soma as pessoas que tomarão as duas doses, sendo que a segunda foi aplicada em 47 mil catarinenses, enquanto 156 mil só tomaram a primeira.

Desse total, são 122 mil trabalhadores da saúde, 7,9 mil idosos em Instituições de Longa Permanência, 385 deficientes, 4,6 mil indígenas, 15 mil em idosos com 90 anos ou mais e 6 mil em todos de 85 a 89 anos. O

número total de imunizados representa cerca de 0,60% da população catarinense e cerca de 15% das doses recebidas pelo Estado.

Nacionalmente, Santa Catarina é em proporção, a quarta Unidade Federativa que menos vacinou.

“Essa quantidade é cerca de 56% dos grupos prioritários que já iniciaram a vacinação, quando considerada a primeira dose. Não é um número suficiente, pois a meta é atingir 90% em todos os grupos, mas consideramos que até o momento, como o Estado recebeu um pequeno quantitativo de doses do Ministério da Saúde, foi o que foi possível realizar”, afirma o superintendente de Vigilância em Saúde de SC, Eduardo Macário.

Alta de casos e mortes pela Covid-19, baixa no isolamento

Durante a segunda (22) apenas 29,9% dos catarinenses ficaram em casa, o segundo menor índice registrado desde o início da pandemia, atrás apenas do dia 19 de fevereiro, que teve 29%.

Atualmente, esse dado deixa o Estado abaixo da média nacional, que é de 32,5%, e o coloca Santa Catarina como a 3ª Unidade Federativa menos isolada.

Quem lidera o ranking é o Estado do Amazonas, com 41% de índice.

Os dados são da plataforma In Loco, que mapeia 1,5 milhão de catarinenses via smartphone.

Confira o mapa nacional:


+

Saúde