SC investiga 21 casos suspeitos de novas variantes da Covid-19

Testes foram enviados ao laboratório da Fiocruz, no Rio de Janeiro, para avaliação; novas variantes podem apresentar maior potencial de transmissibilidade ou gravidade da doença

Santa Catarina investiga a suspeita de 21 casos de novas variantes da vírus causador da Covid-19. Conforme a Dive-SC (Diretoria de Vigilância Epidemiológica), os casos foram listados desde outubro do ano passado.

Célula infectada pelo novo coronavírusSC investiga 21 casos suspeitos da nova variante da Covid-19 – Foto: Divulgação/Fotos Públicas/ND

Assim como foi divulgado pela Dive-SC no dia 1º de fevereiro, apenas seis casos suspeitos da nova variante identificada no Reino Unido haviam sido registrados. No entanto, dois foram descartados. A Diretoria não informou o resultado dos outros quatro casos.

Ainda conforme a Dive-SC, os testes foram enviados ao laboratório da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), no Rio de Janeiro, que é referência sobre a doença, no país.

Questionada pela reportagem do ND+, a Dive-SC informou que só irá divulgar os nomes dos municípios desses casos se houver confirmação de novas variantes. Além disso, não existe previsão para sair o resultado dos exames.

A SES (Secretaria de Estado da Saúde) foi procurada pela reportagem do ND+ para falar sobre os casos suspeitos e se existe um prazo para sair o resultado dos exames. Porém, não houve o retorno da informação até a publicação.

Variantes

Desde a identificação inicial do novo coronavírus, houveram diversas mudanças no seu grupo genético. Entre essas mutações, algumas variantes podem representar impactos na saúde pública, caso apresentem um potencial de maior transmissibilidade ou gravidade da doença.

Até o momento, três tipos de variantes importantes foram descobertas no mundo. Uma delas foi detectada na África do Sul, em dezembro de 2020, a qual se espalhou rapidamente por três províncias sul-africanas.

Estudos mostraram que a variante conta com uma carga viral mais alta, o que pode sugerir um potencial de maior transmissibilidade. Até 25 de janeiro de 2021, fora a África do Sul, 30 países notificaram casos dessa variante, que foi denominada como 501Y.V2.

O Reino Unido também detectou uma nova variante, batizada de COV 202012/01, ainda em dezembro de 2020.

Os dados mostraram que essa nova variante aumentou a transmissibilidade em comparação com outras variantes e cresceu rapidamente até se tornar dominante em grande parte do país.

Desde 25 de janeiro de 2021, fora o Reino Unido, 62 países notificaram casos importados ou de transmissão comunitária da variante.

Variante no Brasil

Ainda em dezembro de 2020, outra variante foi identificada pelo Japão, mas com origem em Manaus, em quatro viajantes que chegaram do Brasil. Essa variante possui 12 mutações na proteína denominada Spike, que podem afetar a transmissibilidade e a resposta imune do paciente.

Conforme um estudo preliminar, houve o aumento na detectação da variante P.2, linhagem B1.1.28 em Manaus, que era responsável por 52,2% dos casos detectados da Covid-19 em dezembro. Já em janeiro de 2021, essa proporção aumentou para 85,4%.

Reforço nos cuidados

Conforme divulgado pela Dive-SC, o Governo do Estado reforçou os protocolos de cuidados sobre as novas variantes do novo coronavírus.

Um documento foi enviado para as equipes para identificar as novas variantes e mutações. Também foram redobrados os cuidados com os profissionais que tiveram ou terão contato com pacientes transferidos de Manaus.

Outra medida é a verificação do histórico de viagens dos pacientes, principalmente, das regiões de risco, como a África do Sul, Reino Unido e região Norte do Brasil.

+

Saúde